Projetos

A dissolução do horizonte e a história da paisagem

Data: 01/01/2017- em andamento

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Descrição: O projeto se inicia na condição de professora convidada da Université de Toulon e a seguir em um estágio pós-doutoral na EHESS. Continua no intercâmbio com essas duas instituições e a previsão de publicação de dois livros na França em 2020

Docentes: Myriam Bahia Lopes

A hospitalidade acadêmica da Universidade Federal de Ouro Preto: estudo das relações e práticas de acolhimento institucional em uma perspectiva sociológica

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/03/2020 – em andamento

Descrição: Este projeto de pesquisa se apresenta como sequência dos estudos de pós-doutoramento do presente pesquisador, realizado no Centre de Recherche sur les Liens sociaux da Université Paris Descartes ? Sorbonne, sob supervisão da Profa. Dra. Anne Gotman. As propostas teóricas situadas neste projeto de pesquisa partem de um estudo bibliográfico centrado na teoria do dom proveniente dos trabalhos de Marcel Mauss em interface com a hospitalidade incondicional de Jaques Derrida quanto às relações fenomenológicas do acolhimento com o outro. O objetivo é estudar as relações de hospitalidade [e hostilidade] dentre os diversos atores que compõe o tecido acadêmico da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e suas práticas de acolhimento institucional. A metodologia baseia-se em pesquisa bibliográfica aprofundada e pesquisa observatória participante quanto ao cotidiano da práxis acadêmica local. Ademais, deve ser realizada pesquisa qualitativa sob forma de entrevistas semiestruturadas com estudantes, professores, técnicos, funcionários terceirizados e gestores sobre as relações entre tais e as práticas de acolhimento institucional da UFOP. Supõe-se que é necessário repensar à práxis cotidiana dos sujeitos no mundo e, ainda, importa-nos refletir em como (re)construir laços sociais com o outro no âmbito universitário para a constituição de uma política de hospitalidade acadêmica

Docentes: Leandro Benedini Brusadin

A via crítica do patrimônio II: a atuação do IPHAN em Minas Gerais (1988-…)

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/03/2017 – em andamento

Descrição: O projeto de pesquisa A ‘via crítica’ do patrimônio II: a atuação do IPHAN em Minas Gerais (1988-…) dá sequência a projeto anterior de mesmo nome, desenvolvido entre 2013 e 2016, que pretende analisar como se processam e se fundamentam as escolhas que conformam e mantêm o corpus patrimonial, continuando a focalizar a atuação do IPHAN em Minas Gerais. Nesta sua segunda etapa, o projeto vai abordar o período que vai de 1988, com a promulgação da nova Constituição Federal do Brasil, até os dias atuais, quando passam a atuar na área do patrimônio também o órgão estadual (IEPHA-MG) e as prefeituras municipais. Para isso, vamos continuar abordando, de forma comparativa, a atuação do IPHAN nos diversos núcleos tombados na primeira leva de proteção, acontecida ainda nos anos 1930: Ouro Preto, Mariana, São João Del Rei, Tiradentes, Diamantina e Serro. O projeto parte de uma série de trabalhos monográficos produzidos em nosso grupo de pesquisa, que cada um a sua maneira, têm procurado acompanhar as trajetórias da preservação desses conjuntos, caminhando no sentido de estabelecer comparações e uma compreensão mais ampla e detalhada do processo. A pesquisa será desenvolvida em 36 meses pelo grupo multidisciplinar proponente, que reúne docentes e pesquisadores de vários departamentos da Escola de Arquitetura, além de alunos da Graduação e do Programa de Pós-graduação em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), contando ainda com a participação de pesquisadores do Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), da Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ), da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e da Universidade de São Paulo (USP).

Docentes: Flávio de Lemos Carsalade

Leandro Benedini Brusadin

Leonardo Barci Castriota (Coordenador)

ABNT/CE-002:136.001 – NBR 15.575 – Contribuições para a revisão da norma no requisitos de Térmica e Iluminação

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 01/01/2017 – em andamento

Descrição: A ABNT, como único Foro Nacional de Normalização, mediante a demanda de normalização no campo de desempenho de edificações habitacionais, compreendendo os sistemas estruturais, hidrossanitários, de pisos, de vedações verticais internas e externas e de cobertura, independentemente dos seus materiais constituintes e do sistema construtivo utilizado, no que concerne à terminologia, requisitos, critérios e métodos de avaliação, criou a Comissão de Estudo (ABNT/CE-002:136.001), para discutir e estabelecer, por consenso, regras, diretrizes ou características para o referido assunto. Após 07 anos de implementação definitiva da NBR 15.575, Norma de Desempenho de Edificações Residenciais (ABNT, 2013), o mercado e o setor acadêmico se reuniram para revisar requisitos relativos a itens de durabilidade, acústica, térmica e iluminação. O LABCON-UFMG em parceria com a Ares Eficiência Energética passou então a aplicar as propostas de revisão feitas nas áreas de térmica e iluminação de forma a contribuir para o processo de revisão, emitindo relatórios técnicos disponibilizados para o Grupo de Trabalho.

Docentes: Roberta Vieira Goncalves de Souza (Responsável)

Abordagens contemporâneas para os conceitos inconclusos nas escolas tradicionais de morfologia urbana

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data:  01/01/2017- em andamento

Descrição: Esta proposta de pesquisa busca investigar aspectos pouco desenvolvidos no campo da Morfologia Urbana pela constatação de que as abordagens da escola inglesa de Morfologia Urbana relativas às regiões morfogenéticas e suas escalas de atuação suscitaram reduzidos estudos, discussões e aplicações práticas. Da mesma forma, aspectos referentes aos tipos, tecidos urbanos e o tipo territorial, todos integrantes dos conceitos da escola italiana de Morfologia Urbana têm sido objeto de interpretação diferenciada nos estudos brasileiros daquelas apregoadas pelos seus fundadores. Busca-se então, um elemento morfológico comum nas duas abordagens que possa reunir os principais aspectos formais e ser considerado o modelo ideal para qualquer análise que se desejasse empreender, neste campo. Para a equipe de um laboratório de pesquisa que tem como um dos objetos principais, o estudo da Morfologia Urbana a sua aplicação na realidade brasileira, considera-se necessária esta discussão e aprofundamento no tema. A metodologia estruturada na Morfologia Urbana tem como procedimentos, num primeiro momento, o levantamento das fontes bibliográficas para a apreensão dos conceitos e seu cotejamento visando o estabelecimento de uma base conceitual unificada e adaptada ao contexto brasileiro. Com o aporte conceitual adquirido prevê-se a sua aplicação num sítio urbano que permita a identificação, aplicação, aliada às outras pesquisas em curso pelos professores integrantes do laboratório, discussão e divulgação dos aspectos pesquisados. Busca-se então com este aporte, a sua aplicação em abordagens contemporâneas e transdisciplinares que possibilitem a ampliação da escala de um tipo (edifício), ou um morfotipo, uma unidade urbana, para paisagem e territórios. Finalmente, espera-se que os resultados possam ser comunicados via cursos de pós-graduação, extensão, com aplicações no planejamento das cidades brasileiras.

Docentes: Stael de Alvarenga Pereira Costa (Responsável)

Maria Cristina Villefort Teixeira

Cartografia da percepção popular do Orçamento Participativo em Belo Horizonte

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 01/05/2018 – em andamento

Descrição: O objetivo do Projeto é estudar as intervenções urbanas do Poder Público a partir da aplicação do orçamento participativo no município de Belo Horizonte. Propõe-se investigar como a participação nos referidos processos e a implantação das obras realizadas com seus recursos altera percepção da população acerca dos territórios que as receberam, assim como sobre aspectos ligados à representatividade política, a partir de sua participação e dos demais atores envolvidos nos OPs. Será utilizado o método cartográfico, a partir de workshops envolvendo mapeamentos físicos e digitais 

Docentes: Gisela Barcellos de Souza

Natacha Silva Araujo Rena (Responsável)

Certificação de reservas técnicas

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/06/2015 – em andamento 

Descrição: Projeto visa desenvolvimento e aplicação de ferramentas/metodologias de diagnóstico e contribuir para estabelecer critérios de certificação de reservas técnicas, não somente identificando problemas, mas também apontando possíveis medidas de melhoria no contexto da gestão de acervos, mais especificamente em termos da sua guarda / armazenamento, em museus com vocações diversas.

Docentes: Luiz Antonio Cruz Souza 

Willi de Barros Goncalves (Responsável)

Yacy Ara Froner Goncalves

Cidades, urbanismo e planejamento urbano no Brasil: Séculos XVI-XXI

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 04/03/2019 – em andamento

Descrição: A formação e evolução das cidades brasileiras do século XVI ao XXI, que tem sido objeto de pesquisas inovadoras desde a década de 1970, configura uma lacuna surpreendente nas matérias apresentadas aos estudantes de graduação em que é sido abordado sem o enfoque central que requer em disciplinas de teoria a história com foco em interesses diversos. Sua relação com a herança pré-colombiana , com a matriz portuguesa e outras matrizes europeias e americanas intervenientes é base necessária para o planejamento urbano legalmente requerido e foco da atuação dos futuros profissionais. Propõe-se indicar o seu relacionamento com a base econômica de cada período, morfologia e concepções estéticas; concepções urbanísticas, projetos e planos; bases legais e institucionais; Infraestrutura associada às tipologias arquitetônicas notáveis e características habitacionais de cada período, bem como com as inovadoras formas do ensino a que correspondeu desde o século XVII.

Docentes: Beatriz Alencar D’araújo Couto (Responsável)

CNPq 441610/2020-0 – Avaliação de impactos climáticos e plano de ação climática: desenvolvimento de ferramentas para atender a municípios de pequeno porte

Linha de Pesquisa: Tecnologia do Ambiente construído

Data: 01/12/2020 – em andamento

Descrição: Atualmente, o país conta com aproximadamente 5282 municípios de até 100 mil habitantes que, segundo o Estatuto da Cidade, são obrigados a implementar um Plano Diretor (PD), segundo o critério de população, um dentre outros critérios que o Estatuto da Cidade estabelece. Como a elaboração de um documento deste tipo exige a consolidação de uma base de dados contendo informações demográficas, sociais, econômicas, ambientais e institucionais, é possível supor que os municípios dispõem de dados que, em algum nível, são capazes de gerar indicadores que reflitam as condições locais. Contudo, a maioria desses municípios caracterizam-se pela baixa arrecadação municipal, baixa capacidade técnica, administrativa e de gestão pública. Desta forma, a maior parte deles não dispõe de recursos técnicos e/ou financeiros que permitam o desenvolvimento e/ou a contratação de serviços especializados, como estudos de vulnerabilidade e risco climático, não dispondo de conhecimento sistematizado e contextualizado das questões relativas às mudanças climáticas globais. Consequentemente, esses municípios não possuem planos de ação climática e não abordam as questões climáticas em seus PD, o que faz com que não estejam adequadamente preparados para lidar com os impactos potenciais, de maneira a constituir respostas mais eficientes às vulnerabilidades e tornar territórios mais resilientes a desastres e outras perturbações decorrentes da alteração do clima. É importante observar que os impactos potenciais referem-se aos diversos efeitos das mudanças climáticas sobre os ecossistemas e as populações, tendo uma melhor capacidade adaptativa aquele município que dispõe das competências e recursos necessários ao efetivo ajuste a essas mudanças, mitigando possíveis danos, tirando vantagens de eventuais oportunidades ou lidando adequadamente com as consequências. A adaptação pode se dar em diferentes escalas, orientadas pela escala municipal, com diretrizes de ação definidas a partir da leitura, tão acurada quanto possível, da situação local, com destaque para os impactos relacionados ao ciclo hidrológico e à forma urbana.Considerando este breve contexto, apresenta-se uma proposta para lidar simultaneamente com a avaliação de impactos climáticos (AIC) e com o desenvolvimento de planos de ação climática (PAC). Para tanto o primeiro objetivo será desenvolver estrutura de avaliação de impactos climáticos para municípios de pequeno e médio porte (até 100 mil habitantes), buscando aproveitar e integrar os dados pré existentes a outras informações, e como segundo objetivo, elaborar um plano de ação climática participativo para o mesmo território, construindo um procedimento a partir da compilação de diversas metodologias existentes para elaboração de PACs. O propósito é adaptar para a realidade de governança e de acesso a dados destes municípios procedimentos para AIC e PAC validados internacionalmente. O foco dessas duas ferramentas será lidar especificamente com as metas relativas aos seguintes Objetivos do Desenvolvimento Sustentável:ODS-2 (Fome Zero e Agricultura Sustentável), ODS-6 (Água Potável e Saneamento), ODS-7 (Energia Limpa e Acessível), ODS-9 (Indústria, inovação e Infraestrutura), ODS-11 (Cidades e Comunidades Sustentáveis), ODS13 (Ação Contra a Mudança Global do Clima). O ponto de partida metodológico será a construção de indicadores de avaliação a partir dos dados disponíveis, considerando a base de dados usada para a elaboração dos planos diretores, além de outras bases de dados abertas nacionais e internacionais (IBGE,INPE, Banco Mundial, entre outros), com foco na elaboração de um plano de ação climática.

Docentes: Eleonora Sad De Assis

Rejane Magiag Loura

Roberta Vieira Goncalves de Souza (Responsável)

Conceito, forma e materialidade: o interstício da história da arte e da história da arte técnica no estudo da arte concreta e neoconcreta

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/01/2016 – em andamento 

Descrição: No contexto singular temporal e territorial Latino Americano, observa-se a mudança de uma arte naturalista ou ?social-realista em distintos espaços geográficos do continente americano entre as décadas de 1940 e 1960 (HARRIS, 1996), como os movimentos Arte Concreto-Invención, Madí e Perceptismo, na Argentina; o Expressionismo Abstrato e o Minimalismo norte-americanos; e os movimentos Concreto e Neoconcreto brasileiros. De que forma e em qual medida os interesses e os processos artísticos deslocados convergem, considerando as relações entre as proposições plásticas, o uso de novos materiais e as experimentações técnicas? Como a crítica especializada autônoma instalada nos territórios de origem – como de Joaquín Torres Garcia na Argentina; Jorge Romero Brest (1905-1989) e Tomás Maldonado no Uruguai; Juan Acha (1916-1995) no México; Mário Pedrosa (1901-1981) e Ferreira Gullar (1930-2016) no Brasil; Harold Rosenberg (1906-1978), Clement Greenberg (1909-1994) e Michael Martin Fried nos Estados Unidos – compreendeu esse universo construtivo plástico, conceitual, visual e técnico que se propagou na região? Estas são questões de base para compreendermos a forma como o meio teórico-crítico vem acessando as obras produzidas no período.

Docentes: Alessandra Rosado

Luiz Antonio Cruz Souza 

Yacy Ara Froner Goncalves (Responsável)

Conhecimento, criatividade e inovação tecnológica na 3a revolução industrial

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 04/03/2017 – em andamento

Descrição: O projeto pesquisa as mudanças que vêm ocorrendo com a reconfiguração da relação entre as pessoas e os objetos e culminam com as possibilidades de inovação trazidas pela impressão 3d, tomando como base os conceitos de autonomia, reprodutibilidade e distinção social, em suas implicações na produção e no consumo. 

Docentes: Maria Luiza Almeida Cunha de Castro (Responsável)

Conservação baseada em valores: um novo paradigma para o patrimônio cultural 

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural 

Data: 01/02/2017 – em andamento

Descrição: Este projeto de pesquisa, que dá sequência aos trabalhos anteriores realizados, pretende aprofundar a investigação sobre os pressupostos teóricos da área da conservação, focalizando as diversas teorias dos valores, que vêm sendo utilizadas largamente no mundo hoje como matriz para políticas do patrimônio que respondem à dinâmica e à amplitude contemporânea desse conceito. A questão da atribuição de valor, que hoje nos aparece em toda sua complexidade, não parecia ser, até algumas décadas, uma questão controversa, nem digna de maior investigação: a conservação constituiu durante muito tempo um campo relativamente fechado, sendo a atribuição de valor feita, via de regra, por experts, que decidiam o que era (ou não era) patrimônio. A maior parte dos conceitos que norteavam, então, as escolhas e opções na constituição do corpus patrimonial derivava do campo das artes, usando-se noções como as de obra-prima, valor intrínseco e autenticidade, que eram incorporadas sem maiores discussões ou aprofundamento. Nesse caso, mesmo que pudessem ser detectadas variações significativas nas diversas trajetórias nacionais das políticas do patrimônio, o conceito dominante era sempre o da excepcionalidade, que terminava por diluir num conceito genérico a complexa matriz de valores envolvida em cada caso. No entanto, a partir dos anos 1980, parece emergir um outro paradigma que procura ultrapassar a perspectiva tradicional da conservação baseada-na-matéria: a conservação-baseada-em-valores, no qual, mais que a materialidade, vai ser central a própria questão da atribuição de valor e os diversos agentes nela envolvidos. Assim, nesta pesquisa, além de uma abrangente revisão teórica da discussão nacional e internacional, serão realizados também estudos de casos, que permitirão analisar o papel dos valores nas decisões nas políticas de conservação, bem como a questão mais abrangente da atribuição de valor por indivíduos e comunidades em relação ao seu patrimônio cultural. 

Docentes: Leonardo Barci Castriota (Responsável)

Conservação e reabilitação do patrimônio histórico: determinação da matriz de constantes elásticas da madeira através de ensaios não destrutivos inovadores

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construido

Data: 03/02/2017 – em andamento

Descrição: Grande parte das construções antigas classificadas como patrimônio histórico tem as coberturas sustentadas por estruturas de madeira. As tesouras foram as estruturas mais utilizadas na antiguidade. Estas estruturas são compostas por peças maciças de madeira interligadas através de entalhes feitos na madeira, alguns parafusos, fitas de ação e estribos. A avaliação do comportamento estrutural, devido a estas particularidades das ligações e principalmente ao fato dos elementos estruturais estarem com as suas seções transversais reduzidas por causa do ataque de organismos Xilofagos, é relativamente complexo. O nível de agressão de cada peça de madeira dependerá da qualidade da madeira, alburno ou cerne, das condições ambientais do local e dos métodos construtivos adotados. Assim, mesmo sendo a estrutura confeccionada com a mesma espécie de madeira, cada peça terá um comportamento diferente ao nível de agressão. A determinação das seções transversais das peças de madeira é feito, inicialmente, a partir de uma inspeção visual onde são determinadas as dimensões e o grau de degradação das peças. Como não é possível definir, nos locais mais agredidos, as seções remanescentes é necessário utilizar ensaios não destrutivos, END, com a finalidade de determinar as seções sadias. Existe grande variedade de END para a determinação das características físicas e mecânicas da madeira. A avaliação da integridade da estrutura e verificação do desempenho depende fortemente das características mecânicas da madeira. Como não é possível retirar corpos de prova da estrutura antiga os END são a solução. Assim o objetivo deste projeto é a determinação da matriz de constantes elásticas da madeira, considerando um material ortotrópico atreves de ensaios de impacto e acústicas. Esta matriz com 9 constantes elásticas juntamente com uma análise estrutural, permitirá definir com maior precisão a reabilitação da estrutura e as possíveis próteses dos elementos estruturais.

Docente: Edgar Vladimiro Mantilla Carrasco (Responsável) 

Corpos Inscritos 

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 02/03/2019 – em andamento

Descrição: Tradução, edição e publicação do livro Corpos Inscritos: vacinação antivariólica de biopoder. 

Descrição: Concepção, tradução, redação e edição do livro Corpos Inscritos: vacina e biopoder. Londres e Rio de Janeiro: 1840 e 1904 em francês e em português (2021). Prefácio e pósfácio de Michelle Perrot e Maria Stella Martins Bresciani. 

Docente: Myriam Bahia Lopes (Responsável) 

Desenvolvimento de argamassas de revestimento com rejeito de minério de ferro 

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 05/08/2019 – em andamento

Descrição: Este projeto de pesquisa busca encontrar formas de utilização para os rejeitos da mineração de ferro na produção de argamassas de revestimento com vistas a reduzir o volume de resíduo dispostos nas barragens por meio de sua utilização como matéria-prima em produtos destinados à construção civil.

Docente: Rejane Magiag Loura

Sofia Araujo Lima Bessa (Responsável)

Desinfecção do ar utilizando radiação uv-c para eliminação do virus sars-cov2 e bactérias multirresistentes 

Linha de Pesquisa: projeto isolado

Data: 10/06/2020 – em andamento

Descrição: Um grupo de pesquisadores da UFMG construiu um equipamento muito simples para inativação de vírus e bactérias suspensos no ar, e demonstrou sua eficiência. A equipe é composta por Alexandre Leão e Willi Gonçalves da EBA; Rudof Huebner da EE; Gregory Kitten e Jônatas Abrahão do ICB, Thalita Arantes do CM; e Wagner Rodrigues, do ICEx. A premissa do projeto, iniciado em março de 2020, foi de que o equipamento fosse de baixíssimo custo, e eficiente. O equipamento foi desenhado para desinfetar ambientes como quartos de hospital, salas de espera de ambulatórios, quartos residenciais ou qualquer ambiente onde possa haver microrganismos sensíveis à radiação UV-C em suspensão no ar. Foi construído um protótipo com recursos próprios dos pesquisadores, e realizamos os ensaios de eficiência no Centro de Microscopia e no ICB. Trata-se de um tubo que aspira o ar do ambiente, expondo-o à radiação UV-C de uma lâmpada de vapor de mercúrio de baixa pressão, e o devolve desinfectado. O duto é feito em MDF, recoberto com papel alumínio internamente. A sucção ocorre através de um pequeno ventilador de corrente contínua. A avaliação da eficiência foi feita em experimento desenhado pelo Prof. Jônatas Abrahão. Foi usado um vírus inócuo a humanos, produzindo uma névoa com uma concentração conhecida de partículas virais na entrada do aparelho, e coletando o que sai. O experimento mostrou que sem luz havia cerca de 10e4 partículas virais ativas atravessando o aparelho, e com a luz ligada essa contagem foi zero. Experimentos para validação de desinfecção com vírus estão sendo repetidos e ampliados. A nossa proposta inicial foi de que o projeto fosse simples o suficiente para que qualquer um pudesse executá-lo, e disponibilizá-lo amplamente. A tecnologia proposta apresenta um dispositivo para desinfecção especialmente adaptado para fluidos como gases, gases contendo aerossóis, preferencialmente ar. A desinfecção é alcançada pelo uso de lâmpadas UV-C (radiação ultravioleta banda C) que é capaz de inativar vírus e outros microrganismos, inclusive microrganismos indesejáveis ou causadores de doenças. O dispositivo proposto possui maior eficiência porque: 1) utiliza chicanas para redução da velocidade do fluido a ser desinfectado, expondo-o por mais tempo à radiação UV-C e aumentando a eficiência do processo de inativação de vírus e microrganismos sem redução do fluxo do fluido; 2) inclui superfície interna refletora para reduzir a absorção da radiação UV-C pelos elementos construtivos internos do dispositivo, preservando-os, e evita a atenuação da radiação UV-C no interior do dispositivo; e 3) agrega funções complementares às chicanas que atuam também como elementos de suporte e fixação e bloqueio da radiação UV-C para a parte externa do dispositivo, garantindo a segurança contra efeitos nocivos da radiação para os usuários. O dispositivo é compacto e pode ser usado para desinfecção de ar em ambientes, como: hospitais, clínicas, locais públicos e residências. Representa recurso relevante para ações mitigadoras para controle de pandemias, especialmente a atual pandemia de COVID-19 causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, bem como poderá também atuar no combate a bactérias multirresistentes. O Depósito de Patente de Invenção foi realizado pela CTIT, em 13/07/2020. Processo BR 10 2020 014286.

Docente: Willi De Barros Goncalves (Responsável)

Eficiência energética no gerenciamento ambiental de coleções

Linha de Pesquisa: MEMÓRIA E PATRIMÔNIO CULTURAL 

Data: 01/01/2019 – em andamento

Descrição: Este projeto se propõe a capacitar o aluno bolsista em nível de iniciação científica, na aprendizagem de técnicas e métodos científicos, através de investigação sobre consumo de energia em sistemas de climatização utilizados para o gerenciamento ambiental de coleções de bens culturais abrigadas em instituições de salvaguarda e pesquisa de acervos, de natureza diversificada, como museus, arquivos, bibliotecas.

Docente: Willi de Barros Gonçalves (Responsável)

Yacy Ara Froner Gonçalves

Em busca das escalas intermediárias: experimentações sobre a cidade latino-americana e intercâmbios docentes no cone sul 

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente 

Data: 01/08/2019 – em andamento

Docente: Gisela Barcellos de Souza (Responsável) 

EPIC-Compasso: Adaptação à Mudança Climática: autonomia para comunidades e resiliência urbana

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído 

Data: 01/08/2017 – em andamento

Descrição: Belo Horizonte é uma grande cidade metropolitana com uma topografia acidentada e, como qualquer outra cidade em um país em desenvolvimento, enfrenta grandes desafios relacionados às desigualdades sociais, que tendem a se tornar ainda mais complexas devido aos crescentes impactos das mudanças climáticas. Considerando o histórico da participação popular na tomada de decisões, desenvolveu-se uma parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e a Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais (EAUFMG) que visa desenvolver um processo de participação social na elaboração e implementação do Plano de Adaptação e Resiliência de Belo Horizonte. Esse plano tem três linhas de abordagens: Educação, Planejamento Urbano e Monitoramento ambiental para ações de planejamento e educação. Esse projeto está diretamente relacionado com a linha de atuação em Educação. O trabalho envolve as equipes da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) e da EAUFMG junto às escolas de educação infantil situadas nas 10 áreas identificadas em um estudo encomendado pela PBH (WAY CARBON, 2016) como aquelas mais vulneráveis às mudanças climáticas na capital. WAY CARBON, Análise de Vulnerabilidade às Mudanças Climáticas do Município de Belo Horizonte: Relatório Final. Belo Horizonte, 2016. 

Docente: Eleonora Sad De Assis (Responsável) 

Rejane Magiag Loura

Fluxos culturais globais, identidade e sustentabilidade do ambiente construído

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído  

Data: 02/03/2016 – em andamento

Descrição: A pesquisa avalia aspectos relativos ao patrimônio construído pelo viés da perspectiva que vê a globalização como resultado da interação dos cenários dos fluxos globais (Appadurai), em suas interseções com diferentes propostas de compreensão da identidade. Por meio desta visão vários temas da atualidade são analisados

Docente: Maria Luiza Almeida Cunha de Castro (Responsável)

Geopolítica e Territórios 

Linha de Pesquisa: PAISAGEM E AMBIENTE 

Data: 12/02/2017 – em andamento

Descrição: O trabalho pretende abordar o crescimento da participação da sociedade civil organizada – em suas diversas formas e classificações – nos processos decisórios, consultivos ou deliberativos das políticas urbanas, e avaliar o peso deste crescimento na realidade dos territórios urbanos em questão, realizando um paralelo com o papel do Estado e sua condição na atual conjuntura político-econômica. Além disso, pretende-se abordar esses processos em uma perspectiva transescalar, tendo em vista os atuais processos de reestruturação produtiva, as alterações na Divisão Internacional do Trabalho e as mudanças no Capitalismo Global como um todo. Ademais, o trabalho passa por um recorte temporal das problemáticas urbanas em questão, visando averiguar os efeitos práticos destas transformações para o desenvolvimento e bem-estar nos territórios estudados. Este projeto Geopolítica e Territórios tem como objetivo principal constituir uma leitura crítica dos conceitos de “governança urbana” e “participação da sociedade civil” relacionados à produção do espaço nas cidades brasileiras e latino-americanas – sobretudo Belo Horizonte e São Paulo – partindo da análise das redes estabelecidas entre Estado, Mercado e Sociedade Civil Organizada, inauguradas pelas novas formas de participação institucional (MARICATO, 2007), assim como pela emergência dos novíssimos movimentos sociais (GOHN, 2017). Além disso, pretende-se, como objetivo específico, rastrear dentro dos fóruns de política urbana da ONU (UN Habitat) (RABELO; FANTIN; 2017) (FERREIRA, 2017) a emergência, elaboração e aplicação destes conceitos, em relação às políticas territoriais. Pretende-se, também, identificar como estes conceitos surgem nas recomendações das instituições financeiras multilaterais (BID, BM e FMI) como condicionantes para a realização de empréstimos para o poder público na execução de políticas urbanas (ARANTES, 2006). O trabalho será desenvolvido por meio de: (i) Articulação de bibliografia para a compreensão dos atuais processos que envolvem o objeto de estudo; (ii) Estudo e avaliação das agendas desenvolvidas nas últimas conferências da UN Habitat – dentre outras reuniões temáticas – a partir de bibliografia dedicada e, também, por meio do próprio texto resultante dos encontros; (iii) Levantamento bibliográfico dedicado à investigação do surgimento dos conceitos de governança urbana e participação da sociedade civil, e suas aparições no âmbito da gestão de cidades; (iv) Estudo de caso da atuação de Organizações da Sociedade Civil (OSCs) junto à administrações municipais, principalmente em São Paulo e Belo Horizonte com as redes Nossa São Paulo e Nossa BH; (v) Levantamento e classificação (a partir de referências bibliográficas) dos principais atores envolvidos nos processos protagonizados e articulados pelas OSCs, incluindo movimentos sociais; (vi) Realização de uma topologia de rede envolvendo os atores levantados para identificar as relações estabelecidas; (vii) Cruzamento de dados territoriais, temporais e qualitativos por meio da plataforma IndAtlas; (viii) Elaboração de diagrama de forças com as relações estabelecidas entre os atores levantados e suas participações nos processos considerados; (ix) Rastreamento dos conceitos de “governança” e “participação da sociedade civil” nos casos analisados; (x) Avaliação do efeito prático da aplicação da agenda estudada no contexto do desenvolvimento das cidades em questão.

Docente: Natacha Silva Araujo Rena (Responsável) 

Abordagens contemporâneas para os conceitos inconclusos nas escolas tradicionais de morfologia urbana

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data:  01/01/2017- em andamento

Descrição: Esta proposta de pesquisa busca investigar aspectos pouco desenvolvidos no campo da Morfologia Urbana pela constatação de que as abordagens da escola inglesa de Morfologia Urbana relativas às regiões morfogenéticas e suas escalas de atuação suscitaram reduzidos estudos, discussões e aplicações práticas. Da mesma forma, aspectos referentes aos tipos, tecidos urbanos e o tipo territorial, todos integrantes dos conceitos da escola italiana de Morfologia Urbana têm sido objeto de interpretação diferenciada nos estudos brasileiros daquelas apregoadas pelos seus fundadores. Busca-se então, um elemento morfológico comum nas duas abordagens que possa reunir os principais aspectos formais e ser considerado o modelo ideal para qualquer análise que se desejasse empreender, neste campo. Para a equipe de um laboratório de pesquisa que tem como um dos objetos principais, o estudo da Morfologia Urbana a sua aplicação na realidade brasileira, considera-se necessária esta discussão e aprofundamento no tema. A metodologia estruturada na Morfologia Urbana tem como procedimentos, num primeiro momento, o levantamento das fontes bibliográficas para a apreensão dos conceitos e seu cotejamento visando o estabelecimento de uma base conceitual unificada e adaptada ao contexto brasileiro. Com o aporte conceitual adquirido prevê-se a sua aplicação num sítio urbano que permita a identificação, aplicação, aliada às outras pesquisas em curso pelos professores integrantes do laboratório, discussão e divulgação dos aspectos pesquisados. Busca-se então com este aporte, a sua aplicação em abordagens contemporâneas e transdisciplinares que possibilitem a ampliação da escala de um tipo (edifício), ou um morfotipo, uma unidade urbana, para paisagem e territórios. Finalmente, espera-se que os resultados possam ser comunicados via cursos de pós-graduação, extensão, com aplicações no planejamento das cidades brasileiras.

Docentes: Stael de Alvarenga Pereira Costa (Responsável)

Maria Cristina Villefort Teixeira

Aplicação de revestimentos em habitações autoconstruídas: o uso das argamassas pigmentadas produzidas com resíduos

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 05/08/2019 – em andamento

Descrição: A ação tem como principal problema desenvolver estratégias para melhorar a condição de habitabilidade das habitações autocontruídas com menor impacto ambiental. Os objetivos são: realizar um levantamento catalográfico das habitações sem revestimento interno/externo das alvenarias; b) revestir, com o auxílio da comunidade, as alvenarias das habitações analisadas usando argamassa feita a partir de rejeitos (de mineração ou de construção); c) analisar as temperaturas internas e externas das habitações antes e após a colocação do revestimento.

Docentes:Rejane Magiag Loura

Sofia Araujo Lima Bessa (Responsável)

Aplicação do Bim em Edificações Contemporâneas e Históricas

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 01/04/2020 – em andamento

Descrição: O estudo proposto procura, por um lado, entender as várias dimensões da documentação do edifício, fazer levantamentos utilizando recursos tecnológicos com destaque para a aerofotogrametria e articular estas dimensões em um ambiente interdisciplinar, definindo diretrizes para modelagem das informações levantadas utilizando o HBIM.

Docentes:Cynara Fiedler Bremer (Responsável)

Marco Antônio Penido de Rezende

Maria Luiza Almeida Cunha de Castro

APQ-02272-17 – Análise de sensibilidade das decisões de projeto nos edifícios com sistema de condicionamento de ar em modo híbrido

Linha de Pesquisa: TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 

Data: 01/01/2019 – em andamento

Descrição: O projeto, aprovado em 2017 passou a receber a verba concedida para o projeto em setembro de 2019. de energia elétrica com uma previsão de crescimento até 2030 de 4,5% ao ano. Isso torna a análise da forma de consumo de energia do setor de edificações, em especial o de edificações de escritório, de vital importância para garantir o crescimento sustentado do uso de energia no país. Após a implementação, em 2010, do Regulamento Técnico da Qualidade para Eficiência Energética de Edifícios Comerciais, de Serviços e Públicos – RTQ-C, verificou-se a necessidade de desenvolver marcos de consumo de energia elétrica das edificações, chamados benchmarkings. Em fevereiro de 2017 foi defendida uma tese de doutorado que analisou o consumo das torres desta tipologia de edifícios categorizados por três tipos distintos de condicionamento: natural, com modo misto de condicionamento e com condicionamento artificial. Ao longo da pesquisa chamou-se atenção para o consumo das torres com condicionamento híbrido, por este ser significativamente menor que o das torres totalmente condicionadas artificialmente (63,1 kWh/m2/ano contra 146,7 kWh/m2/ano em uma amostra de 86 torres). Com isso, o objetivo desse projeto é analisar mais profundamente, através de dados reais de consumo e de levantamentos in loco, a influência das decisões de projeto no consumo de energia das torres de médio e grande porte na cidade de Belo Horizonte com condicionamento de ar de modo misto. Para isso, será necessária a seleção das edificações e levantamentos das características construtivas, sistemas, uso e ocupação dessas edificações. Com a classificação das edificações, serão selecionadas algumas destas que serão simuladas no programa Energy Plus. Assim, será possível a realização de análises das alterações arquitetônicas e de sistemas que impactam no consumo de energia para se criar uma análise de sensibilidade com relação às variáveis de projeto mais influentes neste consumo. 

Docentes:Roberta Vieira Gonçalves de Souza (Responsável)

Aprimoramento de ferramenta de apoio à tomada de decisão edilícia considerando critérios de desempenho térmico e aquecimento de água

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 05/08/2019 – em andamento

Descrição: Essa pesquisa se dedica ao estudo do desempenho termo energético de envoltórias de edificações habitacionais brasileiras, de seus sistemas de aquecimento de água para banho e de seus respectivos custos, simultaneamente. A proposta procura desenvolver análises em tipologias multifamiliares em 15 cidades representativas no Brasil.

Docentes: Rejane Magiag Loura (Responsável)

Arquitetura de terra vernácula em comunidades quilombolas: herança, identidade, tecnologia e transformação

Linha de Pesquisa: Tecnologia do Ambiente Construído

Data: 05/03/2018 – em andamento

Descrição: Esta proposta se faz como desdobramento de pesquisas já realizadas, CNPQ e FAPEMIG, no âmbito da arquitetura vernácula mineira. Permitirá o uso, pela primeira vez, dos conceitos e teorias da escola americana de arquitetura vernácula aplicados como instrumentos de análise à realidade brasileira. Minas Gerais possui rico patrimônio em arquitetura vernácula de terra. Sua preservação tem consequências ambientais, sociais e econômicas marcantes, como a melhoria da qualidade habitacional da população rural, qualificação de mão de obra em obras de restauração, diminuição do êxodo rural, entre outras. Entre as comunidades aonde esta arquitetura está presente destacam-se as quilombolas. Nesta pesquisa se analisará duas comunidades quilombolas aonde o know-how vernáculo ainda está presente mas correndo um sério risco de desaparecimento. O objetivo será compreender que fatores permitiram a sua preservação, que importância tem este saber vernáculo para a comunidade e como preservá-lo. A preocupação com a sua preservação advém de contatos já feitos com lideranças da comunidade que veem nesta preservação um importante fator para a sua própria identidade. Resultado também de pesquisas anteriores, se buscará ainda testar método inovador na seleção de solos, que poderá ter grande desdobramento na área da preservação de monumentos e de novas construções vernáculas. Metodologicamente se trabalhará de forma interdisciplinar dois grandes eixos: a cultura local e a tecnologia construtiva, em constante interface. Esta construção interdisciplinar se apoiará em metodologias da antropologia, história, arquitetura e tecnologia de forma a obter uma necessária compreensão global do objeto em análise. Há que se destacar que os resultados da pesquisa tem grande reprodutibilidade tanto do ponto de vista do conhecimento científico, pela utilização de novas bases conceituais e metodologias inovadoras, como do ponto de vista social, pela semelhança com outras comunidades presentes no Estado. 

Docentes: Marco Antônio Penido de Rezende (Responsável)

Arquitetura de Terra Vernácula no Sudeste Brasileiro: Delineando Diretrizes De Estudo e Preservação

Linha de Pesquisa: Tecnologia do Ambiente Construído 

Data: 01/01/2017- em andamento

Descrição: Na região Sudeste do Brasil ainda se encontram pequenas vilas aonde a arquitetura de terra está presente como parte da cultura construtiva local. O turismo tem levado a mudanças nesta tradição mas curiosamente também ajudado a preservá-la. Diante disso, é necessário que se compreenda e se defina que diretrizes podem ser adotadas pela população local, agentes públicos e ONGs em relação a esta situação.Estas questões tem levado ao desenvolvimento de pesquisas neste tema e em algumas destas vilas. O projeto ora proposto pretende fazer uma síntese entre 5 pesquisas desenvolvidas em três diferentes localidades. Três destas pesquisas já foram encerradas, uma se encerrará em 2019 e outra em 2020. Desta forma além de fazer uma síntese destas pesquisas este projeto poderá atuar como um ?meta? projeto, realimentando os estudos ainda em andamento. Trata-se de um projeto interdisciplinar com a participação efetiva de um antropólogo, um turismólogo e um geógrafo. Isto se justifica porque o turismo tem se revelado um fator chave nestes estudos e porque além dos métodos da arquitetura vernácula, nas pesquisas desenvolvidas se utilizou o método da observação participante da antropologia, da pesquisa-ação da administração, e nas pesquisas em desenvolvimento estão sendo utilizados métodos da história oral e da abordagem qualitativa da sociologia, sobre os quais o turismólogo desenvolveu seu doutorado na área de história. Assim sendo, do ponto de vista metodológico este projeto também irá dar grande contribuição ajudando a delinear e definir as abordagens mais adequadas para objeto tão complexo. Espera-se com este projeto fazer uma síntese sobre as possibilidades da arquitetura de terra como elemento de identidade e desenvolvimento sustentável para as comunidades em estudo e delinear estratégias de ações neste sentido. Este projeto é o resultado de vários anos de pesquisa constante no tema da arquitetura de terra (10 projetos), adicionados a experiência advinda do Pós-Doutorado na área de arquitetura de terra vernácula, e visa responder ao desafio posto pelo campo de pesquisa em relação à abordagem da arquitetura vernácula de terra na região Sudeste. 

Docentes: Frederico de Paula Tofani

Leandro Benedini Brusadin 

Marco Antônio Penido de Rezende (Responsável)

Avaliação de tecnologia (technology assessment): relações entre a tecnologia, as metodologias de projeto e os respectivos impactos na sociedade

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído 

Data: 01/01/2018 – em andamento

Descrição: O projeto inclui várias frentes de investigação sobre as relações entre a tecnologia, as metodologias de projeto e os respectivos impactos na sociedade. Partindo da análise de uma primeira transição que ocorreu entre a representação tradicional e a utilização do computador como ferramenta de representação, procura-se entender, do ponto de vista sociotécnico, as implicações das novas ferramentas digitais na geração de formas e na modelagem da informação. Os focos de interesse incluem as novas maneiras de se considerar a criatividade, de mapear questões subjetivas , de articular atores e tecnologia, e também questões ligadas diretamente ao projeto e ao ensino. Pesquisa em parceria com o Institute for Technology Assessment and Systems Analysis (ITAS) em Karlshue na Alemanha.

Docentes: Maria Luiza Almeida Cunha de Castro (Responsável)

Biomimetismo e Biônica 

Linha de Pesquisa: TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO

Data: 01/09/2017- em andamento

Descrição: Este projeto de pesquisa busca uma abordagem que consiste em olhar para o mundo natural à procura de soluções que se apliquem diretamente em projetos para resolver determinados problemas, seja ele na Arquitetura ou no Design, baseando-se nas formas, funções ou comportamentos presentes na natureza.

Docentes: Cynara Fiedler Bremer (Responsável)

Bolsa de Produtividade DT/CNPq Nível 2 – Disseminação do Pensamento de Ciclo de Vida: integrando ACV ao Design para a Sustentabilidade 

Linha de Pesquisa: Tecnologia do Ambiente Construído

Data: 24/02/2020 – em andamento

Descrição: O objetivo é o de disseminar o Pensamento de Ciclo de Vida (Life Cycle Thinking) aos diversos setores produtivos, com especial atenção às micro e pequenas empresas (MPEs) e aos pequenos empreendimentos, integrando o método de Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) aos princípios de Design para a Sustentabilidade com vistas à diminuição dos impactos causados pelas atividades produtivas sobre o meio natural, considerando, igualmente, os valores socioeconômicos e culturais envolvidos. 

Docentes: Andrea Franco Pereira (Responsável) 

Caracterização mecânica e fitossanitária da madeira serrada e de arvores vivas através de ensaios não destrutivos

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído 

Data: 01/02/2014 – em andamento 

Descrição: A madeira é, por excelência, o material de construção do futuro. Suas excelentes propriedades físicas e mecânicas, como, por exemplo, baixas condutividade e dilatação térmicas, grande resistência ao fogo, excelente desempenho acústico e elevada resistência mecânica, além do fato de ser continuamente renovável na natureza, colocam-na em uma posição de destaque frente a outros materiais. Nesse sentido, a avaliação não destrutiva de madeiras assume um papel de vital importância, pois permite obter e analisar o maior número de informações sobre o material, objetivando não somente maior precisão dos resultados, como também estabelecer critérios práticos de classificação e caracterização daquele material, fornecendo subsídios para que sua utilização. Existem diversos métodos e técnicas de avaliação não destrutiva de madeiras, sendo cada um deles adequado à avaliação de determinadas propriedades e características desse material (os ultra-som, as ondas acústicas, a tomografia, o uso de ensaios de penetração e arranchamento). Entretanto, com esta ampla diversidade de Ensaios Não Destrutivos (ENDs), fica difícil saber qual o método mais indicado para cada situação ou particularidade da estrutura. Dessa forma, faz-se necessária a compreensão, de maneira mais inteligível, dos fenômenos que interferem em cada tipo de END e uma comparação dos resultados em função das propriedades da madeira. Este projeto de pesquisa tem, por objetivo, o estudo teórico-experimental dos princípios físicos envolvidos nos ENDs e obter, por meio de avaliação experimental, correlações estatísticas entre as características físicas envolvidas em cada tipo de END e as propriedades físico-mecânicas de diferentes espécies de madeiras brasileiras. Caracterizar através de ENDs o nível de degradação de peças de madeira, postes e árvores vivas. Definir a partir dos estudos experimentais o tipo de END para cada situação. Seja para caracterização do material, de estruturas já prontas ou de árvores vivas.

Docentes: Edgar Vladimiro Mantilla Carrasco (Responsável)

Caracterização microclimática, métricas de preservação e simulações computacionais aplicadas à conservação preventiva de bens culturais móveis em minas gerais 

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data:  09/02/2015 – em andamento

Descrição: Este projeto de pesquisa se propõe a responder a seguinte questão: como obter uma avaliação quantitativa, mensurável, padronizada, reprodutível, facilmente compreensível e comunicável das condições de conservação de coleções, bem como dos riscos para a sua preservação, em função de condicionantes ambientais, com base em critérios e metodologias científicos? Essa é uma fronteira no estado da arte da pesquisa na área de Conservação Preventiva de Bens Culturais, principalmente nos países tropicais.. 

Docentes: Willi de Barros Gonçalves (Responsável) 

Cartografia da percepção popular do Orçamento Participativo em Belo Horizonte

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 01/05/2018 – em andamento

Descrição: O objetivo do Projeto é estudar as intervenções urbanas do Poder Público a partir da aplicação do orçamento participativo no município de Belo Horizonte. Propõe-se investigar como a participação nos referidos processos e a implantação das obras realizadas com seus recursos altera percepção da população acerca dos territórios que as receberam, assim como sobre aspectos ligados à representatividade política, a partir de sua participação e dos demais atores envolvidos nos OPs. Será utilizado o método cartográfico, a partir de workshops envolvendo mapeamentos físicos e digitais

Docentes: Gisela Barcellos de Souza

Natacha Silva Araujo Rena (Responsável)

Certificação de reservas técnicas

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/06/2015 – em andamento

Descrição: Projeto visa desenvolvimento e aplicação de ferramentas/metodologias de diagnóstico e contribuir para estabelecer critérios de certificação de reservas técnicas, não somente identificando problemas, mas também apontando possíveis medidas de melhoria no contexto da gestão de acervos, mais especificamente em termos da sua guarda / armazenamento, em museus com vocações diversas.

Docentes: Luiz Antonio Cruz Souza

Willi de Barros Goncalves (Responsável)

Yacy Ara Froner Goncalves

Cidades, urbanismo e planejamento urbano no Brasil: Séculos XVI-XXI

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 04/03/2019 – em andamento

Descrição: A formação e evolução das cidades brasileiras do século XVI ao XXI, que tem sido objeto de pesquisas inovadoras desde a década de 1970, configura uma lacuna surpreendente nas matérias apresentadas aos estudantes de graduação em que é sido abordado sem o enfoque central que requer em disciplinas de teoria a história com foco em interesses diversos. Sua relação com a herança pré-colombiana , com a matriz portuguesa e outras matrizes europeias e americanas intervenientes é base necessária para o planejamento urbano legalmente requerido e foco da atuação dos futuros profissionais. Propõe-se indicar o seu relacionamento com a base econômica de cada período, morfologia e concepções estéticas; concepções urbanísticas, projetos e planos; bases legais e institucionais; Infraestrutura associada às tipologias arquitetônicas notáveis e características habitacionais de cada período, bem como com as inovadoras formas do ensino a que correspondeu desde o século XVII.

Docentes: Beatriz Alencar D’araújo Couto (Responsável)

CNPq 441610/2020-0 – Avaliação de impactos climáticos e plano de ação climática: desenvolvimento de ferramentas para atender a municípios de pequeno porte

Linha de Pesquisa: Tecnologia do Ambiente construído

Data: 01/12/2020 – em andamento

Descrição: Atualmente, o país conta com aproximadamente 5282 municípios de até 100 mil habitantes que, segundo o Estatuto da Cidade, são obrigados a implementar um Plano Diretor (PD), segundo o critério de população, um dentre outros critérios que o Estatuto da Cidade estabelece. Como a elaboração de um documento deste tipo exige a consolidação de uma base de dados contendo informações demográficas, sociais, econômicas, ambientais e institucionais, é possível supor que os municípios dispõem de dados que, em algum nível, são capazes de gerar indicadores que reflitam as condições locais. Contudo, a maioria desses municípios caracterizam-se pela baixa arrecadação municipal, baixa capacidade técnica, administrativa e de gestão pública. Desta forma, a maior parte deles não dispõe de recursos técnicos e/ou financeiros que permitam o desenvolvimento e/ou a contratação de serviços especializados, como estudos de vulnerabilidade e risco climático, não dispondo de conhecimento sistematizado e contextualizado das questões relativas às mudanças climáticas globais. Consequentemente, esses municípios não possuem planos de ação climática e não abordam as questões climáticas em seus PD, o que faz com que não estejam adequadamente preparados para lidar com os impactos potenciais, de maneira a constituir respostas mais eficientes às vulnerabilidades e tornar territórios mais resilientes a desastres e outras perturbações decorrentes da alteração do clima. É importante observar que os impactos potenciais referem-se aos diversos efeitos das mudanças climáticas sobre os ecossistemas e as populações, tendo uma melhor capacidade adaptativa aquele município que dispõe das competências e recursos necessários ao efetivo ajuste a essas mudanças, mitigando possíveis danos, tirando vantagens de eventuais oportunidades ou lidando adequadamente com as consequências. A adaptação pode se dar em diferentes escalas, orientadas pela escala municipal, com diretrizes de ação definidas a partir da leitura, tão acurada quanto possível, da situação local, com destaque para os impactos relacionados ao ciclo hidrológico e à forma urbana.Considerando este breve contexto, apresenta-se uma proposta para lidar simultaneamente com a avaliação de impactos climáticos (AIC) e com o desenvolvimento de planos de ação climática (PAC). Para tanto o primeiro objetivo será desenvolver estrutura de avaliação de impactos climáticos para municípios de pequeno e médio porte (até 100 mil habitantes), buscando aproveitar e integrar os dados pré existentes a outras informações, e como segundo objetivo, elaborar um plano de ação climática participativo para o mesmo território, construindo um procedimento a partir da compilação de diversas metodologias existentes para elaboração de PACs. O propósito é adaptar para a realidade de governança e de acesso a dados destes municípios procedimentos para AIC e PAC validados internacionalmente. O foco dessas duas ferramentas será lidar especificamente com as metas relativas aos seguintes Objetivos do Desenvolvimento Sustentável:ODS-2 (Fome Zero e Agricultura Sustentável), ODS-6 (Água Potável e Saneamento), ODS-7 (Energia Limpa e Acessível), ODS-9 (Indústria, inovação e Infraestrutura), ODS-11 (Cidades e Comunidades Sustentáveis), ODS13 (Ação Contra a Mudança Global do Clima). O ponto de partida metodológico será a construção de indicadores de avaliação a partir dos dados disponíveis, considerando a base de dados usada para a elaboração dos planos diretores, além de outras bases de dados abertas nacionais e internacionais (IBGE,INPE, Banco Mundial, entre outros), com foco na elaboração de um plano de ação climática.

Docentes: Eleonora Sad De Assis

Rejane Magiag Loura

Roberta Vieira Goncalves de Souza (Responsável)

Conceito, forma e materialidade: o interstício da história da arte e da história da arte técnica no estudo da arte concreta e neoconcreta

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/01/2016 – em andamento

Descrição: No contexto singular temporal e territorial Latino Americano, observa-se a mudança de uma arte naturalista ou ?social-realista em distintos espaços geográficos do continente americano entre as décadas de 1940 e 1960 (HARRIS, 1996), como os movimentos Arte Concreto-Invención, Madí e Perceptismo, na Argentina; o Expressionismo Abstrato e o Minimalismo norte-americanos; e os movimentos Concreto e Neoconcreto brasileiros. De que forma e em qual medida os interesses e os processos artísticos deslocados convergem, considerando as relações entre as proposições plásticas, o uso de novos materiais e as experimentações técnicas? Como a crítica especializada autônoma instalada nos territórios de origem – como de Joaquín Torres Garcia na Argentina; Jorge Romero Brest (1905-1989) e Tomás Maldonado no Uruguai; Juan Acha (1916-1995) no México; Mário Pedrosa (1901-1981) e Ferreira Gullar (1930-2016) no Brasil; Harold Rosenberg (1906-1978), Clement Greenberg (1909-1994) e Michael Martin Fried nos Estados Unidos – compreendeu esse universo construtivo plástico, conceitual, visual e técnico que se propagou na região? Estas são questões de base para compreendermos a forma como o meio teórico-crítico vem acessando as obras produzidas no período.

Docentes: Alessandra Rosado

Luiz Antonio Cruz Souza

Yacy Ara Froner Goncalves (Responsável)

Conhecimento, criatividade e inovação tecnologica na 3a revolução industrial

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 04/03/2017 – em andamento

Descrição: O projeto pesquisa as mudanças que vêm ocorrendo com a reconfiguração da relação entre as pessoas e os objetos e culminam com as possibilidades de inovação trazidas pela impressão 3d, tomando como base os conceitos de autonomia, reprodutibilidade e distinção social, em suas implicações na produção e no consumo.

Docentes: Maria Luiza Almeida Cunha de Castro (Responsável)

Conservação baseada em valores: um novo paradigma para o patrimônio cultural

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/02/2017 – em andamento

Descrição: Este projeto de pesquisa, que dá sequência aos trabalhos anteriores realizados, pretende aprofundar a investigação sobre os pressupostos teóricos da área da conservação, focalizando as diversas teorias dos valores, que vêm sendo utilizadas largamente no mundo hoje como matriz para políticas do patrimônio que respondem à dinâmica e à amplitude contemporânea desse conceito. A questão da atribuição de valor, que hoje nos aparece em toda sua complexidade, não parecia ser, até algumas décadas, uma questão controversa, nem digna de maior investigação: a conservação constituiu durante muito tempo um campo relativamente fechado, sendo a atribuição de valor feita, via de regra, por experts, que decidiam o que era (ou não era) patrimônio. A maior parte dos conceitos que norteavam, então, as escolhas e opções na constituição do corpus patrimonial derivava do campo das artes, usando-se noções como as de obra-prima, valor intrínseco e autenticidade, que eram incorporadas sem maiores discussões ou aprofundamento. Nesse caso, mesmo que pudessem ser detectadas variações significativas nas diversas trajetórias nacionais das políticas do patrimônio, o conceito dominante era sempre o da excepcionalidade, que terminava por diluir num conceito genérico a complexa matriz de valores envolvida em cada caso. No entanto, a partir dos anos 1980, parece emergir um outro paradigma que procura ultrapassar a perspectiva tradicional da conservação baseada-na-matéria: a conservação-baseada-em-valores, no qual, mais que a materialidade, vai ser central a própria questão da atribuição de valor e os diversos agentes nela envolvidos. Assim, nesta pesquisa, além de uma abrangente revisão teórica da discussão nacional e internacional, serão realizados também estudos de casos, que permitirão analisar o papel dos valores nas decisões nas políticas de conservação, bem como a questão mais abrangente da atribuição de valor por indivíduos e comunidades em relação ao seu patrimônio cultural.

Docentes: Leonardo Barci Castriota (Responsável)

Conservação e reabilitação do patrimônio histórico: determinação da matriz de constantes elásticas da madeira através de ensaios não destrutivos inovadores

Linha de Pesquisa: TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO

Data: 03/02/2017 – em andamento

Descrição: Grande parte das construções antigas classificadas como patrimônio histórico tem as coberturas sustentadas por estruturas de madeira. As tesouras foram as estruturas mais utilizadas na antiguidade. Estas estruturas são compostas por peças maciças de madeira interligadas através de entalhes feitos na madeira, alguns parafusos, fitas de ação e estribos. A avaliação do comportamento estrutural, devido a estas particularidades das ligações e principalmente ao fato dos elementos estruturais estarem com as suas seções transversais reduzidas por causa do ataque de organismos Xilofagos, é relativamente complexo. O nível de agressão de cada peça de madeira dependerá da qualidade da madeira, alburno ou cerne, das condições ambientais do local e dos métodos construtivos adotados. Assim, mesmo sendo a estrutura confeccionada com a mesma espécie de madeira, cada peça terá um comportamento diferente ao nível de agressão. A determinação das seções transversais das peças de madeira é feito, inicialmente, a partir de uma inspeção visual onde são determinadas as dimensões e o grau de degradação das peças. Como não é possível definir, nos locais mais agredidos, as seções remanescentes é necessário utilizar ensaios não destrutivos, END, com a finalidade de determinar as seções sadias. Existe grande variedade de END para a determinação das características físicas e mecânicas da madeira. A avaliação da integridade da estrutura e verificação do desempenho depende fortemente das características mecânicas da madeira. Como não é possível retirar corpos de prova da estrutura antiga os END são a solução. Assim o objetivo deste projeto é a determinação da matriz de constantes elásticas da madeira, considerando um material ortotrópico atreves de ensaios de impacto e acústicas. Esta matriz com 9 constantes elásticas juntamente com uma análise estrutural, permitirá definir com maior precisão a reabilitação da estrutura e as possíveis próteses dos elementos estruturais.

Docente: Edgar Vladimiro Mantilla Carrasco (Responsável)

Corpos Inscritos

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 02/03/2019 – em andamento

Descrição: Tradução, edição e publicação do livro Corpos Inscritos: vacinação antivariólica de biopoder.

Descrição: Concepção, tradução, redação e edição do livro Corpos Inscritos: vacina e biopoder. Londres e Rio de Janeiro: 1840 e 1904 em francês e em português (2021). Prefácio e pósfácio de Michelle Perrot e Maria Stella Martins Bresciani.

Docente: Myriam Bahia Lopes (Responsável)

Desenvolvimento de argamassas de revestimento com rejeito de minério de ferro

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 05/08/2019 – em andamento

Descrição: Este projeto de pesquisa busca encontrar formas de utilização para os rejeitos da mineração de ferro na produção de argamassas de revestimento com vistas a reduzir o volume de resíduo dispostos nas barragens por meio de sua utilização como matéria-prima em produtos destinados à construção civil.

Docente: Rejane Magiag Loura

Sofia Araujo Lima Bessa (Responsável)

Desinfecção do ar utilizando radiação uv-c para eliminação do virus sars-cov2 e bactérias multirresistentes

Linha de Pesquisa: projeto isolado

Data: 10/06/2020 – em andamento

Descrição: Um grupo de pesquisadores da UFMG construiu um equipamento muito simples para inativação de vírus e bactérias suspensos no ar, e demonstrou sua eficiência. A equipe é composta por Alexandre Leão e Willi Gonçalves da EBA; Rudof Huebner da EE; Gregory Kitten e Jônatas Abrahão do ICB, Thalita Arantes do CM; e Wagner Rodrigues, do ICEx. A premissa do projeto, iniciado em março de 2020, foi de que o equipamento fosse de baixíssimo custo, e eficiente. O equipamento foi desenhado para desinfetar ambientes como quartos de hospital, salas de espera de ambulatórios, quartos residenciais ou qualquer ambiente onde possa haver microrganismos sensíveis à radiação UV-C em suspensão no ar. Foi construído um protótipo com recursos próprios dos pesquisadores, e realizamos os ensaios de eficiência no Centro de Microscopia e no ICB. Trata-se de um tubo que aspira o ar do ambiente, expondo-o à radiação UV-C de uma lâmpada de vapor de mercúrio de baixa pressão, e o devolve desinfectado. O duto é feito em MDF, recoberto com papel alumínio internamente. A sucção ocorre através de um pequeno ventilador de corrente contínua. A avaliação da eficiência foi feita em experimento desenhado pelo Prof. Jônatas Abrahão. Foi usado um vírus inócuo a humanos, produzindo uma névoa com uma concentração conhecida de partículas virais na entrada do aparelho, e coletando o que sai. O experimento mostrou que sem luz havia cerca de 10e4 partículas virais ativas atravessando o aparelho, e com a luz ligada essa contagem foi zero. Experimentos para validação de desinfecção com vírus estão sendo repetidos e ampliados. A nossa proposta inicial foi de que o projeto fosse simples o suficiente para que qualquer um pudesse executá-lo, e disponibilizá-lo amplamente. A tecnologia proposta apresenta um dispositivo para desinfecção especialmente adaptado para fluidos como gases, gases contendo aerossóis, preferencialmente ar. A desinfecção é alcançada pelo uso de lâmpadas UV-C (radiação ultravioleta banda C) que é capaz de inativar vírus e outros microrganismos, inclusive microrganismos indesejáveis ou causadores de doenças. O dispositivo proposto possui maior eficiência porque: 1) utiliza chicanas para redução da velocidade do fluido a ser desinfectado, expondo-o por mais tempo à radiação UV-C e aumentando a eficiência do processo de inativação de vírus e microrganismos sem redução do fluxo do fluido; 2) inclui superfície interna refletora para reduzir a absorção da radiação UV-C pelos elementos construtivos internos do dispositivo, preservando-os, e evita a atenuação da radiação UV-C no interior do dispositivo; e 3) agrega funções complementares às chicanas que atuam também como elementos de suporte e fixação e bloqueio da radiação UV-C para a parte externa do dispositivo, garantindo a segurança contra efeitos nocivos da radiação para os usuários. O dispositivo é compacto e pode ser usado para desinfecção de ar em ambientes, como: hospitais, clínicas, locais públicos e residências. Representa recurso relevante para ações mitigadoras para controle de pandemias, especialmente a atual pandemia de COVID-19 causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, bem como poderá também atuar no combate a bactérias multirresistentes. O Depósito de Patente de Invenção foi realizado pela CTIT, em 13/07/2020. Processo BR 10 2020 014286.

Docente: Willi De Barros Goncalves (Responsável)

Eficiência energética no gerenciamento ambiental de coleções

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/01/2019 – em andamento

Descrição: Este projeto se propõe a capacitar o aluno bolsista em nível de iniciação científica, na aprendizagem de técnicas e métodos científicos, através de investigação sobre consumo de energia em sistemas de climatização utilizados para o gerenciamento ambiental de coleções de bens culturais abrigadas em instituições de salvaguarda e pesquisa de acervos, de natureza diversificada, como museus, arquivos, bibliotecas.

Docente: Willi de Barros Gonçalves (Responsável)

Yacy Ara Froner Gonçalves

Eficiência Hídrica em Unidade de Saúde: diagnóstico e soluções

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 05/08/2019 – em andamento

Descrição: Este projeto incide sobre a ideologia nacional instalada que energia elétrica é tida como um bem escasso, enquanto a água é vista como um bem abundante. Portanto, visa-se investigar os sentidos da água em diferentes segmentos profissionais que com ela atuam no atendimento à saúde. Não se trata de uma proposta para, mas de uma resposta dos profissionais envolvidos nos sistemas de saúde e com o processo de inovação e sustentabilidade do ambiente construído. Com base nessa investigação será projetado, construído e monitorado um protótipo para testar e desenvolver soluções focadas na eficiência hídrica em unidades de saúde. O protótipo será construído no PISAC/UnB. O principal objetivo do PISAC é, por meio de parcerias entre o setor público, privado e academia do Brasil e do Reino Unido, desenvolver, testar e disseminar inovações e tecnologias sustentáveis na produção e manutenção do ambiente construído, contribuindo para o desenvolvimento do setor da construção no Brasil e DF. Não basta, entretanto, projetar e prototipificar. É necessário multiplicar a experiência e as possibilidades de posicionar mais e mais profissionais de saúde diante do fato de que, hoje, água não é um recurso abundante. Finalizado o protótipo terá um papel sociocultural, político e ambiental no campo da educação. Ele poderá ensaiar com seus ? usuários? o papel do ambiente, relacionando pessoas, água e saúde de uma forma diferente. É nesse sentido que o projeto é de inovação: inova relações, e coloca a tecnologia arquitetônica como elemento transformador do que há fixado na velha e insustentável ideologia hídrica.

Docente: Rejane Magiag Loura (Responsável)

Em busca das escalas intermediárias: experimentações sobre a cidade latino-americana e intercâmbios docentes no cone sul

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 01/08/2019 – em andamento

Docente: Gisela Barcellos de Souza (Responsável)

EPIC-Compasso: Adaptação à Mudança Climática: autonomia para comunidades e resiliência urbana

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 01/08/2017 – em andamento

Descrição: Belo Horizonte é uma grande cidade metropolitana com uma topografia acidentada e, como qualquer outra cidade em um país em desenvolvimento, enfrenta grandes desafios relacionados às desigualdades sociais, que tendem a se tornar ainda mais complexas devido aos crescentes impactos das mudanças climáticas. Considerando o histórico da participação popular na tomada de decisões, desenvolveu-se uma parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e a Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais (EAUFMG) que visa desenvolver um processo de participação social na elaboração e implementação do Plano de Adaptação e Resiliência de Belo Horizonte. Esse plano tem três linhas de abordagens: Educação, Planejamento Urbano e Monitoramento ambiental para ações de planejamento e educação. Esse projeto está diretamente relacionado com a linha de atuação em Educação. O trabalho envolve as equipes da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) e da EAUFMG junto às escolas de educação infantil situadas nas 10 áreas identificadas em um estudo encomendado pela PBH (WAY CARBON, 2016) como aquelas mais vulneráveis às mudanças climáticas na capital. WAY CARBON, Análise de Vulnerabilidade às Mudanças Climáticas do Município de Belo Horizonte: Relatório Final. Belo Horizonte, 2016.

Docente: Eleonora Sad De Assis (Responsável)

Rejane Magiag Loura

Fluxos culturais globais, identidade e sustentabilidade do ambiente construído

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 02/03/2016 – em andamento

Descrição: A pesquisa avalia aspectos relativos ao patrimônio construído pelo viés da perspectiva que vê a globalização como resultado da interação dos cenários dos fluxos globais (Appadurai), em suas interseções com diferentes propostas de compreensão da identidade. Por meio desta visão vários temas da atualidade são analisados

Docente: Maria Luiza Almeida Cunha de Castro (Responsável)

Geopolítica e Territórios

Linha de Pesquisa: PAISAGEM E AMBIENTE

Data: 12/02/2017 – em andamento

Descrição: O trabalho pretende abordar o crescimento da participação da sociedade civil organizada – em suas diversas formas e classificações – nos processos decisórios, consultivos ou deliberativos das políticas urbanas, e avaliar o peso deste crescimento na realidade dos territórios urbanos em questão, realizando um paralelo com o papel do Estado e sua condição na atual conjuntura político-econômica. Além disso, pretende-se abordar esses processos em uma perspectiva transescalar, tendo em vista os atuais processos de reestruturação produtiva, as alterações na Divisão Internacional do Trabalho e as mudanças no Capitalismo Global como um todo. Ademais, o trabalho passa por um recorte temporal das problemáticas urbanas em questão, visando averiguar os efeitos práticos destas transformações para o desenvolvimento e bem-estar nos territórios estudados. Este projeto Geopolítica e Territórios tem como objetivo principal constituir uma leitura crítica dos conceitos de “governança urbana” e “participação da sociedade civil” relacionados à produção do espaço nas cidades brasileiras e latino-americanas – sobretudo Belo Horizonte e São Paulo – partindo da análise das redes estabelecidas entre Estado, Mercado e Sociedade Civil Organizada, inauguradas pelas novas formas de participação institucional (MARICATO, 2007), assim como pela emergência dos novíssimos movimentos sociais (GOHN, 2017). Além disso, pretende-se, como objetivo específico, rastrear dentro dos fóruns de política urbana da ONU (UN Habitat) (RABELO; FANTIN; 2017) (FERREIRA, 2017) a emergência, elaboração e aplicação destes conceitos, em relação às políticas territoriais. Pretende-se, também, identificar como estes conceitos surgem nas recomendações das instituições financeiras multilaterais (BID, BM e FMI) como condicionantes para a realização de empréstimos para o poder público na execução de políticas urbanas (ARANTES, 2006). O trabalho será desenvolvido por meio de: (i) Articulação de bibliografia para a compreensão dos atuais processos que envolvem o objeto de estudo; (ii) Estudo e avaliação das agendas desenvolvidas nas últimas conferências da UN Habitat – dentre outras reuniões temáticas – a partir de bibliografia dedicada e, também, por meio do próprio texto resultante dos encontros; (iii) Levantamento bibliográfico dedicado à investigação do surgimento dos conceitos de governança urbana e participação da sociedade civil, e suas aparições no âmbito da gestão de cidades; (iv) Estudo de caso da atuação de Organizações da Sociedade Civil (OSCs) junto à administrações municipais, principalmente em São Paulo e Belo Horizonte com as redes Nossa São Paulo e Nossa BH; (v) Levantamento e classificação (a partir de referências bibliográficas) dos principais atores envolvidos nos processos protagonizados e articulados pelas OSCs, incluindo movimentos sociais; (vi) Realização de uma topologia de rede envolvendo os atores levantados para identificar as relações estabelecidas; (vii) Cruzamento de dados territoriais, temporais e qualitativos por meio da plataforma IndAtlas; (viii) Elaboração de diagrama de forças com as relações estabelecidas entre os atores levantados e suas participações nos processos considerados; (ix) Rastreamento dos conceitos de “governança” e “participação da sociedade civil” nos casos analisados; (x) Avaliação do efeito prático da aplicação da agenda estudada no contexto do desenvolvimento das cidades em questão.

Docente: Natacha Silva Araujo Rena (Responsável)

História e memória no morro da queimada da cidade de Ouro Preto

http://morrodaqueimada.fiocruz.br/historico.php

Linha de Pesquisa: PAISAGEM E AMBIENTE

Data: 01/07/2005

Descrição: Espaço, paisagem e ação O Morro da Queimada é um sítio dotado de rara beleza natural, dele se obtêm uma vista panorâmica do centro histórico de Ouro Preto e do Pico do Itacolomi marco que orientou os primeiros bandeirantes e que individualiza a paisagem ouropretana. Do alto do Morro é como se avistássemos uma maquete viva de Ouro Preto. O Morro da Queimada abriga hoje um sítio arqueológico de inestimável valor, sendo um testemunho material das primeiras tipologias arquitetônicas da cidade e guarda registro precioso da exploração de ouro no início do século XVIII e vestígio da sedição de 1720. Se a história é sempre história comparada (Paul Veyne), poderíamos esperar que o Morro da Queimada guardasse para Ouro Preto uma relação análoga a que a Acrópole representa para Atenas e o Palatino e os antigos fóruns para Roma. Mas a relação de vários de seus moradores com a história desse espaço inviabiliza a comparação. Nas últimas décadas, a ocupação desordenada do Morro da Queimada vem produzindo a dilapidação, o deslocamento, o apagamento visual dos testemunhos materiais do passado. Por um lado as ruínas vêm sendo desmontadas para aproveitamento das pedras antigas como material de construção e, por outro, as estruturas remanescentes vêm sendo utilizadas como base das novas construções. A falta de proteção dos documentos arqueológicos do Morro da Queimada em Ouro Preto é o caso mais grave de abandono do patrimônio cultural pelos poderes públicos nas suas diversas esferas. O presente projeto pretende contribuir para essa iniciativa, realizando por meio do instrumental crítico fornecido pela história uma reflexão de natureza teórica sobre a memória, a história e a doxa desse espaço que pertence à cidade de Ouro Preto, Minas Gerais. As questões lançadas a partir desse marco teórico indiretamente contribuem para se reverter o quadro ambiental da região restituindo valores por meio da diversidade de formas expressão e comunicação que o portal propicia.

Docente: Myriam Bahia Lopes (Responsável)

History of Modern House and Industrial Paints in Brazil

Linha de Pesquisa: MEMÓRIA E PATRIMÔNIO CULTURAL

Data: 01/06/2018 – em andamento

Descrição: The project “History of Modern House Paints in Brazil” is a continuation of the project “Concrete Art in Brazil”, sponsored by the Getty Foundation during its first three years (2015 – 2018). The new focus of the project is on collecting evidences (samples of painted surfaces, ancient paint cans, historical information, historic marketing campaign materials, etc) of modern house paint making in Brazil, including whenever possible information on industrial paints as well. The project is supported and executed in collaboration with the Getty Conservation Institute, as well as the scientific partnership with the teams at the Universidad San Martin, in Buenos Aires.

Docente: Alessandra Rosado

Luiz Antonio Cruz Souza (Responsável)

IGNIS – Grupo de Pesquisa em Tecnologia e Ciência do Incêndio

Linha de Pesquisa: Tecnologia do Ambiente Construído

Data: 02/03/2016 – em andamento

Descrição: O IGNIS pretende pesquisar as diversas áreas que permeiam a questão do incêndio, a saber: ciências exatas e da terra, ciências biológicas, engenharias, ciências da saúde, ciências agrárias, ciências sociais aplicadas e ciências humanas. Portanto, a potencial repercussão deste grupo, interdisciplinar por excelência, será a criação (ou adaptação) de tecnologias de prevenção e combate ao incêndio mais adequadas à realidade brasileira, e à formação e fortalecimento de um corpo técnico capaz de dar respostas de alto nível quanto à maior segurança contra incêndio, evitando-se ou minimizando as consequências deste tipo de sinistro. Para tal, pretende-se a produção e reprodução do conhecimento adquirido neste grupo de pesquisa.  O projeto conta com pesquisadores internacionais de diferentes universidades, como o Professor Miguel Chichorro Gonçalves (Universidade do Porto), Professor Lanzinha (Universidade da Beira Interior, o Pesquisador Leça Coelho (do LNEC) e o Professor Tiago Ferreira (da Universidade do Minho).

Docente: Edgar Vladimiro Mantilla Carrasco

Frederico Toffani 

Paulo Gustavo Von Kruger (Responsável)

Impactos Socioambientais de Atividades Antropicas

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 01/01/2018 – em andamento

Descrição: o projeto procura investigar os impactos de diversas atividades antrópicas dentro de diferentes contextos, a partir de um ponto de vista sociotécnico.

Docente: Maria Luiza Almeida Cunha de Castro (Responsável)

IndAtlas – Plataforma Tecnopolítica de Investigação Urbana

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 09/02/2018  – em andamento

Descrição: Proposta submetida no âmbito da Chamada 01/2018 da FAPEMIG Demanda Universal – processo número APQ-01090-18. A presente proposta visa o desenvolvimento e a implementação da plataforma digital de Investigação Urbana IndAtlas, atualmente em fase de prototipagem por uma equipe transdisciplinar liderada pelo Grupo de Pesquisa Indisciplinar – UFMG. Propõe-se que ela seja composta por: 1) mapas colaborativos online; 2) produção de linhas do tempo e infográficos; 3) produção de topologias de redes (grafos); 4) articulação com redes sociais e páginas Wiki. Dessa forma, pretende-se reunir na mesma aplicação Web, as possibilidades de investigar transformações do território a partir de múltiplos aspectos, contando com a contribuição cidadã de usuários conectados à Internet, focando particularmente em ferramentas de GIS (Geographic Information Systems) e VGI (Volunteer Geographic Information). A IndAtlas, portanto, se articularia a partir de quatro eixos: espacial/territorial; temporal; social e informacional. A sobreposição dessas camadas, além da conectividade entre os componentes utilizados impõe um grande desafio, com sua articulação e retroalimentação constituindo aspectos-chave. O grupo já vem produzindo esse tipo de análise, sob a definição de narrativa cartográfica, mas ainda não conta com uma única ferramenta capaz de relacionar e sobrepor dados de todos esses eixos. A IndAtlas visa, então, integrar as coletas de dados espaciais feitas tanto por pesquisadores quanto por cidadãos comuns, incluindo usuários dos espaços investigados como protagonistas da produção de conhecimento. Dessa forma, são estabelecidos vários canais de comunicação entre os atores envolvidos na produção e na gestão das cidades. Neste momento, o projeto se encontra em fase de desenho conceitual (ou da versão BETA), tendo sido um protótipo inicial submetido a uma primeira rodada de testes em workshop realizado no festival Cidade Eletrônika, em janeiro de 2018. Sua consolidação e implementação, contudo, dependem de mais recursos e prazo, o que poderia ser viabilizado com a aprovação da presente proposta.

Docente: Natacha Silva Araujo Rena (Responsável)

Integrando Avaliação de Ciclo de Vida e Design Sistêmico

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Descrição: O objetivo deste projeto de pesquisa é o de possibilitar a colaboração da professora Andréa Franco Pereira como Pesquisadora Visitante junto ao Grupo de pesquisa ‘Centro de Estudos, Teoria, Cultura e Pesquisa em Design’ e ao Programa de Pós-Graduação em Design (PPGD) da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), com vistas ao desenvolvimento de linha de pesquisa que busque aportar conhecimentos sobre o método de Avaliação do Ciclo de Vida (ACV), integrando-o à metodologia do Design Sistêmico. Por um lado, o projeto é aderente às linhas de pesquisa do PPGD-UEMG. Por outro lado, insere-se no projeto de pesquisa ‘Disseminação do Pensamento de Ciclo de Vida: integrando ACV ao Design para a Sustentabilidade’ da bolsa de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora – DT / CNPq 2020-2023. O projeto inclui a disciplina lecionada ‘Pensamento de Ciclo de Vida e Design Sistêmico’, em conjunto entre UFMG (Pós-Graduação Multidisciplinar em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável – PP-ACPS) e UEMG (Programa de Pós-Graduação em Design – PPGD).

Docente: Andrea Franco Pereira (Responsável)

História da montanha na RMBH: a água, o solo e a apropriação 1890-2015

FAPEMIG

Profa. Myriam Bahia 

A Serra do Curral delimita o Quadrilátero Ferrífero e é importante área geológica do período pré-cambriano e responsável por destacada participação na produção brasileira, em especial, nas últimas décadas do século XX, de minério de ferro e de manganês. A montanha, reconhecida no debate internacional como importante e frágil ecossistema é representada como caixa d´água para dois terços da população mundial é focada a partir do estudo de caso da Região Metropolitana de Belo Horizonte. A história do horizonte na capital de Minas Gerais nos indica um multifacetado paradoxo. No presente a serra se dissolve após décadas de exploração minerária e de expansão da cidade. As noções de horizonte e de paisagem estruturam o projeto interdisciplinar na interseção da antropologia histórica, estética e fenomenologia.

O humor contra a violência na cidade

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 01/03/2017 – em andamento

Profa. Myriam Bahia 

Descrição: A cidade e o humor. Para Paul Virilio a cidade é a maior forma política da história. É no mercado, local por excelência de encontro e da interseção de caminhos variados, que a caricatura surge na Itália. A cidade é por definição o lugar dos trajetos, lugar da organização do contato. Nessa direção a cidadania é para esse autor a organização dos trajetos entre os grupos, os homens. Se o ar da cidade torna os homens livres, a proximidade provoca a reserva externalizada pelo habitante da metrópole. E de acordo com Simmel, ‘não é apenas a indiferença a face interna dessa reserva exterior, mas, mais frequentemente do que nós temos consciência, uma secreta aversão, uma distância e uma rejeição recíprocas que, em caso de contato por razões quaisquer, degenerariam rapidamente em ódio e em conflito. Todo esse agenciamento interior de uma vida de trocas fortemente variadas, repousa sobre uma gama de indiferenças e aversões, sejam momentâneas, sejam duráveis. (Simmel, p 23-24). Se o homem experimenta esses movimentos de atração e de repulsa, de sentimentos díspares, qual papel o humor desempenharia no agenciamento interior, na ecologia subjetiva (Guattari) do habitante da metrópole?. 

O projeto publicou um livro em 2018,  ‘O humor contra a violência’ que se encontra disponível na biblioteca da Escola de Arquitetura.

Além disso o livro será publicado em 2021 na Franças, com o nome ‘L´humour contre la violence’.

*Projeto junto a Université Paris Nanterre 

Docente: Myriam Bahia Lopes (Responsável)

Les concepts sociaux fondamentaux de l’hospitalité : les pratiques d’accueil institutionnel des migrants à Paris et à São Paulo

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/09/2018 – em andamento

Descrição: La sociologie et la philosophie sont comprises dans cette étude comme des prémisses fondamentales pour la recherche en hospitalité, d’un point de vue anthropologique, sous les attributs et les pensées de l’École française. À contre-sens du processus d’accueil social, la modernité se caractérise par une société d’individus qui extrait d’elle-même les actions collectives et les obligations envers l’autre. Cette recherche a pour but d’étudier les processus d’hospitalité publique envers les immigrants et réfugiés sur la scène contemporaine dans les perspectives du système du don et de la phénoménologie de l’accueil. La méthodologie part d’une discussion épistémologique qui cherche à connecter les études classiques axées sur la théorie du don de Marcel Mauss aux écrits d’hospitalité de Jacques Derrida par l’entremise de penseurs français contemporains comme Anne Gotman. L?aspiration inconditionnelle à l’étranger et les échanges de dons asymétriques entre membres et non-membres forment notre concept d’hospitalité. En plus de ce débat théorique, nous avons effectué des recherches sur le terrain à caractère observationnel dans des institutions qui accueillent des immigrants et des réfugiés à São Paulo et à Paris. Il est conclu que l’État sous-traite ses actions d’hospitalité publique en ce qui concerne la solidarité des institutions religieuses et des organisations non gouvernementales, mais il se réserve les actions de contrôle migratoire qui visent à l’ austérité et à l’hostilité envers l?étranger qu’il ne veut pas en tant que membre. La soi-disant crise migratoire de notre époque est, dans de telles circonstances, une crise d’hospitalité.

Docente: Leandro Benedini Brusadin (Responsável)

Levantamento de dados referentes a incêndios florestais em Minas Gerais

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Descrição: Em julho de 2017, o incêndio florestal ocorrido em Pedrogão Grande, um dos mais graves do mundo, com pelo menos 62 mortos e 62 feridos (OBSERVADOR, 2017), fez lembrar a todos os possíveis impactos devastadores que esse tipo de sinistro pode causar. O incêndio florestal afeta tanto as pessoas que moram nos locais da ocorrência, com mortes e sequelas muitas vezes irreversíveis, quanto o meio ambiente, uma vez que o fogo pode exterminar espécies animais e vegetais, afetar o solo e provocar impactos na safra do ano da ocorrência e, até mesmo, nos anos subsequentes. Incêndios ocorridos no mundo demonstram a fragilidade e a intensidade que esses acidentes ocorrem. No Brasil, o incêndio florestal é conhecido, em sua maior parte, pelo lado criminoso e negligente. Isso pode ser verificado devido ao fato de que mais de 90% dos focos de incêndios florestais são provocados por: fogo em lixos nos quintais de casas, fogos de artifício próximos a locais de vegetação seca, fogueiras de acampamentos extintas de maneira incorreta ou incompleta, por desmatamento ilegal ou para a criação de áreas de pasto para gado, e para limpeza do terreno – neste último caso, influenciado por uma cultura de desconhecimento das formas corretas de manejo da terra (FUNDAÇÃO DE PARQUES MUNICIPAIS, 201?). Outro fato importante é que, apesar de ocorrências anuais de incêndio, estes não provocam tantas vítimas pelo fato de que tais sinistros ocorrem, em sua maioria, em áreas de preservação ambiental, locais estes com ocupação humana muito restrita, o que pode, em alguns casos, explicar o caráter criminoso dos incêndios, pois muitas dessas regiões sofrem pressões devido a ocupações irregulares provocadas pela especulação imobiliária ou para uso agropecuário ilegal. Portanto, este trabalho, fundamentado em uma pesquisa bibliográfica em artigos, periódicos, material de treinamento de brigadas de incêndio florestal, entre outros documentos, busca contribuir na investigação deste tipo de sinistro no sentido de evitar ou, em caso de ocorrência, minimizar os danos causados por ele causados. Por se tratar de um primeiro passo relativo ao maior entendimento e aprofundamento do assunto, espera-se, com este estudo, sensibilizar, informar e mobilizar a comunidade para instituir uma cultura de prevenção de incêndio florestal, subsidiando uma possível reestruturação nas metodologias, processos e ferramentas de prevenção, seja em normas, órgão fiscalizadores, na academia ou em outras instituições.

Docente: Edgar Vladimiro Mantilla Carrasco

Paulo Gustavo Von Kruger (Responsável)

Mobilidade nas metrópoles:influências dos sistemas de transporte e politicas públicas no ambiente construído

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 02/04/2017 – em andamento

Descrição: As políticas públicas que tratam da mobilidade permitem a estruturação e articulação espacial das dimensões econômica e social nas cidades ? que se entrelaçam na habitação, trabalho, interações, fluxos… Esta estrutura está diretamente ligada à capacidade que os meios de transporte possuem de prover acesso e de densificar áreas, definindo a economia geográfica das metrópoles. O projeto procura estudar a questão da mobilidade enquanto produção social plural, incluindo questões relativas às atividades e características dos territórios e seus efeitos na ocupação deste território

Docente: Maria Luiza Almeida Cunha de Castro (Responsável)

Mudança e tradição: a preservação do adobe em Lapinha da Serra, Minas Gerais

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 07/03/2016 – em andamento

Descrição: Nesta pesquisa, utilizando-se as metodologias interdisciplinares da arquitetura e tecnologia vernáculas, da rede Ibero Americana Proterra, e baseando-se no conceito transdisciplinar de cultura construtiva, entendida como fenômeno sócio cultural, objetiva-se identificar e caracterizar as transformações ocorridas nas últimas décadas na arquitetura e cultura construtiva do adobe no distrito de Lapinha da Serra, Santana do Riacho, Minas Gerais buscando compreender as forças e agentes aí atuantes.

Docente: Marco Antonio Penido de Rezende (Responsável)

NÚCLEO-COR: Núcleo de aperfeiçoamento e desenvolvimento de iniciativas para o ensino de Conservação-Restauração de Bens Culturais

Linha de Pesquisa: Projeto isolado

Data: 03/02/2020 – em andamento

Docente: Willi de Barros Gonçalves (Responsável)

O acervo em marfim luso-afro-oriental no brasil: pesquisa introdutória nos acervos de minas gerais

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/02/2014 – em andamento

Descrição: Os acervos indo-afro-europeus em marfim no Brasil, com recorte em Minas Gerais, pouco estudados e com escassa documentação de procedência ou origem, é o objeto da pesquisa apresentada. Esta imaginária em marfim, independentemente de se tratar de obras de arte de teor religioso ou laico objetos religiosos, de adorno, decorativos ou armas , é gerada pela interpenetração das culturas africanas, asiáticas e portuguesa, manifestas nos seus aspectos formais, iconográficos, plásticos, materiais, técnicos e funcionais. As atividades desenvolvidas têm por objetivo apoiar a pesquisa apresentada à FAPEMIG como pesquisador mineiro e o projeto The Luso-African Ivories: Inventory, Written Sources, and the History of Production , uma parceria entre a UFMG, a Wesleyan University-USA e o Centro de História da Universidade de Lisboa/ FLUL.

Docente: Alessandra Rosado

Luiz Antonio Cruz Souza

Yacy Ara Froner Goncalves (Responsável)

O que resta da ditadura. transgressão na arte de américa latina entre dois séculos

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/08/2016 – em andamento

Descrição: O fato de realizar esta pesquisa no Brasil propõe um trabalho comparativo onde a especificidade local será colocada em confronto com as outras. Partimos da hipótese de que a longa duração da ditadura brasileira de vinte e um anos não só deixou marcas indeléveis na sociedade como naturalizou suas mazelas e seus procedimentos autoritários. No campo das artes visuais, o sucesso dos projetos concreto e neoconcreto, atrelados ao impacto que teve a construção de Brasília não só na implementação de uma arquitetura modernista brasileira, mas no imaginário popular, evoluiu, nos anos posteriores em direção a um formalismo não ideológico, mas rigoroso, que foi proclamado como característica essencial da arte do país. De Hélio Oiticica a Frederico Morais a herança da vocação construtiva brasileira se prolongou e se prolongou por décadas. Os longos anos de censura desestimularam as propostas de uma arte crítica que agisse explicitamente sobre o real e promoveram trabalhos alegóricos, de feitura formal elegante e harmônica; o que se deu em chamar arte brasileira.

Docente: Maria Angelica Melendi de Biasizzo (Responsável)

O urbanista Radamés Teixeira da Silva: contribuições da sua trajetória acadêmica, proposições e projetos – complementações

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Descrição: O projeto de pesquisa O urbanista Radamés Teixeira da Silva: contribuições da sua trajetória acadêmica, proposições e projetos – complementações tem como finalidade avaliar os aspectos ambientais de áreas vulneráveis a atividades de ocupação e sua interferência no sítio. Em continuidade à pesquisa O urbanista Radamés Teixeira da Silva: contribuições da sua trajetória acadêmica, proposições e projetos, realizada no período de 2013 a 2017, financiada pelo CNPq. Será estudada a paisagem e a drenagem de Belo Horizonte, especialmente as áreas específicas da bacia do Ribeirão Arrudas que afetam a área central da cidade em épocas de chuva. Julgamos importante complementar a pesquisa anterior, de ampla abordagem, para que assunto tão atual como o impacto ambiental possa ser discutido e explorado nas ações de ordem local. As constantes chuvas que acometeram a capital mineira geraram inundações e sérios prejuízos e poderão acarretar acidentes mais drásticos. As águas que descem das principais elevações da cidade deverão ser tratadas em ordem regional, obedecendo aos aspectos orográficos, que correspondem inicialmente à topografia e à hidrografia, mas que contemplam elementos de natureza relacionada também à ocupação. As possíveis soluções para que os problemas de drenagem e ocupação possam atender melhores condições ambientais certamente vão garantir também melhores condições de vida para a população e trazer benefícios que evitem possíveis tragédias no futuro.

Docente: Maria Cristina Villefort Teixeira (Responsável)

Stael de Alvarenga Pereira Costa

Oficina Virtual Integrada (OVI)

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 01/10/2020 – em andamento

Descrição: Projeto contemplado pelo Edital 01/2020 PROGRAD/UFMG Programa para o Desenvolvimento do Ensino de Graduação cujos objetivos são: promover a integração entre disciplinas; avaliar as possibilidades de inovação do processo de ensino e aprendizagem em arquitetura e urbanismo proporcionada pelo emprego de mídias digitais e ensino remoto e subsidiar discussão em torno da revisão dos projetos pedagógicos dos cursos arquitetura diurno e noturno da EAUFMG.

Docente: Gisela Barcellos de Souza (Responsável)

Rejane Magiag Loura

Ortotropia da madeira, propriedades da madeira em situação de incêndio e taxa de carbonização da madeira (omic)

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 15/03/2018 – em andamento

Descrição: 1. Desenvolver um medidor de deslocamento portátil para ser utilizado no ensaio de compressão; 2. Determinar a matriz das constantes elásticas de cada espécie selecionada, através de ensaios de compressão; 3. Estimar a matriz das constantes elásticas de cada espécie, através de ensaios não destrutivos (por propagação de ondas ultrassônicas e de excitação); 4. Estimar a matriz de constantes elásticas da madeira angelim vermelho, através de ensaios não destrutivos, sob elevadas temperaturas; 5. Correlacionar os valores das constantes elásticas determinadas através de ensaios não destrutivos e sob elevadas temperaturas com a análise termogravimétrica das madeiras selecionadas no corpus. 2. Propriedades físicas e mecânicas da madeira em situação de incêndio e taxa de carbonização da madeira. 1. Determinar experimentalmente a taxa de carbonização de treze espécies nativas de espécies folhosas brasileiras de baixa, média e alta densidades sob exposição ao fogo padrão da ISO 834 com temperaturas na faixa de 1200°C visando subsidiar a definição de parâmetros adotados no Método da redução da seção transversal (MRST); 2. Identificar as correlações entre as taxas de carbonização e as classes de densidades; 3. Determinar experimentalmente via ensaios destrutivos, as características mecânicas (compressão, tração e respectivos módulos de elasticidade no sentido paralelo às fibras e cisalhamento no sentido paralelo às fibras) da madeira da espécie Angelim vermelho de alta densidade exposta a temperaturas na faixa de 20 a 240°C em três condições de temperatura: ambiente, quente e resfriada visando subsidiar a definição de parâmetros adotados no Método das propriedades reduzidas (MPR); 4. Avaliar experimentalmente a profundidade da camada de resistência zero; 5. Determinar experimentalmente em corpos de prova de Angelim vermelho, com dimensões reduzidas, via ensaios não destrutivos com o uso da técnica de ultrassom, a constante elástica dinâmica a título de comparação com o módulo de elasticidade determinado durante os ensaios de compressão paralela às fibras e por intermédio da técnica de arrancamento de parafusos, avaliar a viabilidade de se estimar a força de arrancamento de parafuso para prever a densidade e o módulo de cisalhamento da madeira, em três condições de temperatura: ambiente (referência), quente e resfriada.

Docente: Edgar Vladimiro Mantilla Carrasco (Responsável)

Os Paradoxos do Acolhimento nas Repúblicas Estudantis de Ouro Preto: um olhar socioantropológico

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/03/2017 – em andamento

Descrição: Este projeto de pesquisa se apresenta como sequencia dos estudos de pós-doutoramento do presente pesquisador, realizado no Centre de Recherche sur les Liens sociaux da Université Paris Descartes ? Sorbonne, sob supervisão da Profa. Dra. Anne Gotman. As propostas teóricas situadas neste projeto de pesquisa partem de um estudo bibliográfico centrado na teoria do dom proveniente dos trabalhos de Marcel Mauss em interface com a hospitalidade incondicional de Jaques Derrida quanto às relações fenomenológicas do acolhimento com o outro. O objetivo é estudar as relações de hospitalidade [e hostilidade] dentre os diversos atores que compõe o tecido acadêmico da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e suas práticas de acolhimento institucional. A metodologia baseia-se em pesquisa bibliográfica aprofundada e pesquisa observatória participante quanto ao cotidiano da práxis acadêmica local. Ademais, deve ser realizada pesquisa qualitativa sob forma de entrevistas semiestruturadas com estudantes, professores, técnicos, funcionários terceirizados e gestores sobre as relações entre tais e as práticas de acolhimento institucional da UFOP. Supõe-se que é necessário repensar à práxis cotidiana dos sujeitos no mundo e, ainda, importa-nos refletir em como (re)construir laços sociais com o outro no âmbito universitário para a constituição de uma política de hospitalidade acadêmica.

Docente: Leandro Benedini Brusadin (Responsável)

Paisagem Cultural, Paisagem Urbana e Sustentabilidade

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 05/03/2017 – em andamento

Descrição: A ideia de paisagem cultural tem aberto novos horizonte para o campo da preservação do patrimônio, servindo inclusive para trazer novas perspectivas quando aplicada a categorias tradicionais da área como a de conjunto histórico. Ao permitir compreender as interações entre os aspectos natural e cultural, material e imaterial desses conjuntos, muitas vezes ignoradas, essa ideia torna possível também a proposição de estratégias integradas de conservação urbana. Este projeto de pesquisa analisa esta nova categoria, bem como sua relação com o conceito, mais estabelecido, de paisagem urbana. Para isso, além de um aprofundado estudo teórico das categorias utilizadas, este trabalho aborda estudos de caso, utilizandose tanto abordagens metodológicas já testadas quanto propondo novas. Um dos estudos de caso se refere da paisagem do bairro da Lagoinha em Belo Horizonte, para a qual se empregou como ponto de partida a metodologia da Historic Landscape Characterization (HLC), utilizada na Grã-Bretanha há mais de duas décadas, que possibilita a criação de modelos espaciais detalhados relacionados à mudança da paisagem histórica. Inicialmente desenvolvida no âmbito da Arqueologia para análise de ambientes rurais, a essa metodologia foram se agregando novos elementos, tendo se desenvolvido em 2012 o primeiro HLC urbano, que trabalhou as diversas interfaces com a arquitetura, preservação do patrimônio e planejamento urbano. O trabalho realizado no bairro da Lagoinha, em parceria com a Prefeitura Municipal, permitiu identificar e registrar permanências e transformações na paisagem, bem como serviu para a realização de proposições de conservação e planejamento urbano para a região. Este projeto desenvolve também outros estudos de casos, sempre relacionando-os com a temática contemporânea da sustentabilidade, que é investigada em suas diferentes dimensões: ambiental, econômica, social e cultural.

Docente: Flávio de Lemos Carsalade

Leonardo Barci Castriota (Responsável)

Patrimônio Cultural e Natural na Serra da Moeda

Linha de Pesquisa: MEMÓRIA E PATRIMÔNIO CULTURAL

Data: 25/06/2019 – em andamento

Descrição: Este projeto visa contribuir para a geração, o desenvolvimento, a transmissão e a aplicação de conhecimentos, competências e habilidades para identificação, documentação, preservação e uso sustentável do patrimônio cultural e natural existente na formação geológica e fisiográfica denominada Sinclinal Moeda ou, mais especificamente, em sua borda ocidental, conhecida como Serra da Moeda e situada na porção meridional da Região Metropolitana de Belo Horizonte e de seu Colar Metropolitano. Nesse sentido, ele consiste em um ?projeto guarda-chuvas? sob o qual se abriga, de forma indissociada entre si, atividades de pesquisa, extensão e ensino de graduação e pós-graduação, produções bibliográficas, produções técnicas, produções artísticas e participações em eventos.

Docente: Frederico de Paula Tofani (Responsável)

Patrimônio Cultural e Sustentabilidade

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 03/03/2015 – em andamento

Descrição: Este projeto ampliado, inclui projetos realizados no âmbito do Grupo de Pesquisa ARCHE. Dentre subprojetos financiados, encontra-se o AULP-CAPES, projeto de Mobilidade Docente e Discente direciona-se à elaboração de pesquisas conjuntas relacionadas ao campo do Patrimônio Cultural, envolvendo Brasil e Moçambique, por meio do intercâmbio entre cursos de graduação e pós-graduação da UFMG e UEM. No âmbito do Brasil participam os cursos de graduação em Conservação-Restauração de Bens Culturais Móveis, Artes Visuais e Arquitetura e Urbanismo; no strictu sensu, o Programa de Pós-Graduação em Artes e o Mestrado em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável. De Moçambique, a instituição parceira é a Universidade Eduardo Mondlane, por meio dos cursos de graduação e programas de pós-graduação da Escola de Comunicação e Artes, Faculdade de Arquitetura e Faculdade de Letras e Ciências Sociais. Esta parceria, além de contar com o apoio do Programa Pró-Mobilidade Internacional (CAPES-AULP), também contará com o apoio do ICCROM – International Centre for the Study os the Preservation and Restauration of Cultural Property –, considerando sua larga experiência em cursos de treinamento e formação; projetos integrados e pesquisas específicas na área do patrimônio cultural. O projeto ora apresentado visa a construção de uma parceria entre as duas universidades para a proposição de um Centro de Conservação Restauração dos Países de Língua Portuguesa no Continente Africano, aliando as experiências desenvolvidas pelo CECOR no apoio a projetos de conservação-restauração e a expertise do ICCROM. Em relação ao ICCROM, em 2015-2016 foi possível a realização de um pós-doc financiado pela CAPES. O Laboratório de Arqueometria e Preservação em Arqueologia do MHNJB-UFMG também está incluído no projeto.

Docente: Flávio de Lemos Carsalade

Frederico de Paula Tofani

Leandro Benedini Brusadin

Leonardo Barci Castriota

Luiz Antonio Cruz Souza

Yacy Ara Froner Goncalves (Responsável)

Patrimônio Histórico Iberoamericano (PHI)

Linha de Pesquisa: Memória e Patrimônio Cultural

Data: 01/01/2010 – em andamento

Descrição: O projeto PATRIMÔNIO HISTÓRICO CULTURAL IBEROAMERICANO – PHI propõe o desenvolvimento de um sistema inovador de informação de escala global, baseado nas capacidades do mundo universitário, permanentemente atualizado. Um sistema útil, aberto e segmentado, verificador das diversas demandas identificadas sobre as características e o estado dos bens imóveis hoje reconhecidos como patrimônio. O objetivo é criar uma plataforma que sirva para conhecer melhor o valor estratégico do patrimônio e que permita uma gestão mais eficiente deste legado comum para ativar sua capacidade de ordenação do espaço habitado. O PHI pretende, além disso, facilitar a difusão destes valores ao grande público e converter-se em um instrumento de pesquisa, catalogação e ajuda na tomada de decisões dos principais agentes de cooperação e das instituições públicas ou privadas interessadas em programas de investimento no campo da reabilitação, conservação a proteção do patrimônio. Para isto, busca congregar os esforços solidários através de seus diversos potenciais ligados à docência na pós-graduação e na pesquisa / inovação, construindo um espaço comum de intercâmbio de experiências e conhecimentos sobre estes conceitos. O alcance do projeto compreende, em uma primeira fase, o espaço cultural ibero-americano e, como sua imediata ampliação, o restante dos países da comunidade hispano-lusa na escala mundial (mais de quarenta países nos cinco continentes), centrando sua atenção sobre todo aquele patrimônio que se encontre em risco ou que esteja classificado de maneira pouco significativa, com especial interesse naqueles bens que possam trazer consigo oportunidades no campo da cooperação de desenvolvimento. .

Docente: Flávio de Lemos Carsalade (Responsável)

Leonardo Barci Castriota

Plataforma Urbanismo Biopolítico: uma cartografia das lutas territoriais

Linha de Pesquisa:  Paisagem e ambiente

Data: 26/01/2017 – em andamento

Descrição: O objetivo geral desta pesquisa é robustecer a análise qualitativa sobre a economia política dos Grandes Projetos Urbanos OUC, os atores envolvidos, engenharia de financiamento, custos públicos, discursos e instrumentos urbanísticos envolvidos para produção de estudos técnicos, material gráfico e mapeamento que permita, além da mobilização social e denúncia de possíveis irregularidades, a comparação desse GPU com outros que estão sendo mapeados pelos parceiros do Labcidade e IPPUR. Envolvendo a cartografia como método de investigação, este projeto de pesquisa também se conecta a ações extensionistas do grupo de pesquisa Indisciplinar e a diversos movimentos sociais envolvidos nas lutas territoriais em Belo Horizonte como Brigadas Populares, Auditoria Cidadã da Dívida, MLB, Parque jardim América, Rede Verde dentre outros. Um dos objetivos da pesquisa é produzir conhecimento através da fricção entre o cotidiano das lutas (nas redes e ruas) de modo a traduzir dados complexos sobre os grandes projetos urbanos que, em geral, possuem informações jurídicas com linguajar técnico erudito que inviabiliza a mobilização efetiva dos movimentos sociais envolvidos nas resistência. O projeto de pesquisa portanto, atua em rede com outros projetos de pesquisa, outros grupos acadêmicos e movimentos sociais, no que se chama o “campo cego das lutas” produzindo informações transescalares que possam colaborar no avanço do conhecimento gerado cotidianamente. Para isso, além da produção de artigos científicos e textos acadêmicos, também produz-se infográficos, diagrama, textos sintéticos e simples, utilizando fortemente as redes sociais para divulgação da informação e mobilização social. Outras ações como produção de material técnico para participação em audiências públicas e representações no Ministério Público faz parte do cotidiano desta pesquisa. Linhas do tempo, mapas colaborativos georreferenciadas, wikis, e outras de produção de informação de maneira colaborativa também participam das ações cotidianas do grupo. Além disso, atua-se com um grupo de pesquisa sobre Urbanismo Neoliberal para capacitar os atores acadêmicos envolvidos.

Docente: Natacha Silva Araujo Rena (Responsável)

Política, Inovação e Desenvolvimento Urbano

Linha de Pesquisa: Paisagem e Ambiente

Data: 02/08/2016 – em andamento

Descrição: O título do projeto informa a proposta de pesquisa. O nosso desígnio é propor a criação de um instituto que tenha por foco a formulação de políticas públicas alternativas, que podem se realizar por meio de inovação e que tenham por objetivo promover o desenvolvimento urbano.

Docente: Beatriz Alencar D’araújo Couto (Responsável)

Produção de elementos vazados com a incorporação de resíduos: desenvolvimento de microconcretos e desempenho de iluminação natural e ventilação

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 05/08/2019 – em andamento

Descrição: Edital Universal FAPEMIG 01/2017.

Docente: Sofia Araujo Lima Bessa (Responsável)

PROGRAMA DE EXTENSÃO COMPasso UFMG: Parcerias Educacionais para Inovação em Comunidades

Linha de Pesquisa: Tecnologia do Ambiente Construído

Data: 05/08/2019 – em andamento

Descrição: Adaptação à Mudança Climática: autonomia para comunidade e resiliência urbana. O objetivo é desenvolver ações que visam ao aumento da capacidade de resiliência dos territórios e dos habitantes mais vulneráveis aos efeitos adversos das mudanças climáticas.

Docente: Eleonora Sad de Assis

Rejane Magiag Loura (Responsável)

Projeto Amenenhet. Escavação, Restauração e Conservação das Tumbas Tebanas TT123 e TT368, Luxor, Egito

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/01/2019 – em andamento

Descrição: Projeto para escavação, conservação e restauração das tumbas tebanas 123 e 368, localizadas em Sheik abd el-Qrna, em Luxor no Egito. O Projeto faz parte do Brazilian Archaeological Program in Egypt, criado pelo Laboratório de Arqueologia Sensorial da Universidade Federal de Sergipe e conta com a parceria do Centro de Documentação do Ministério de Antiguidades do Egito. O objetivo principal do projeto é escavar , documentar, restaurar e conservar as duas tumbas ao mesmo tempo que busca desenvolver a arqueologia egípcia no Brasil. A participação dos pesquisadores Luiz A C Souza e Yacy-Ara Froner no projeto refere-se à elaboração de mapa de danos das tumbas, diagnóstico de conservação, análise de policromias e projeto executivo de Conservação-Reetauração, bem como sua execução, e envolve cooperação entre o LACICOR – CECOR, e o Instituto de Investigaciones sobre el Patrimonio Cultural, da Universidad San Martin, em Buenos Aires.

Docente: Luiz Antônio Cruz  Souza (Responsável)

Yacy Ara Froner Goncalves

Projeto Museu da Escola de Arquitetura da UFMG

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 01/08/2019 – em andamento

Descrição: –

Docente: Gisela Barcellos de Souza (Responsável)

Projeto Patrimônio Construído: Avaliação das Manifestações Patológicas nas Igrejas dos Séculos XVII, XVIII e XIX da Região Metropolitana de Belo Horizonte

Linha de Pesquisa: TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO

Data: 12/09/2018

Descrição: Este projeto foi registrado no SIEX da UFMG em 2018, , registro 302528, e está relacionado a vários projetos na PUC Minas, de 2018 em diante. Na UFMG é coordenado pela professora Cynara Fiedler Bremer e na PUC Minas pela professora Gláucia Nolasco de Almeida Mello. Contempla a realização levantamento histórico e também de levantamento acerca das condições estruturais e de conservação de cada uma das igrejas selecionadas para participarem da pesquisa.

Docente: Cynara Fiedler Bremer (Responsável)

Protocolos de preservação: acervos etnográficos e arqueológicos

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/02/2012 – em andamento

Descrição: Este projeto tem por objetivos: .Desenvolver pesquisas relacionadas aos protocolos de conservação de acervos arqueológicos, considerando ações integradas entre conservadores e arqueólogos, desde procedimentos de campo e laboratório até sistemas de organização em áreas de Reserva Técnica. Utiliza o acervo do Museu de História Natural e Jardim Botânico como espaço de atuação e pesquisa..

Docente: Luiz Antônio Cruz Souza

Yacy Ara Froner Gonçalves (Responsável)

Recuperação de áreas mata Ciliar atingidas pelo rejeito da Barragem de Fundão

Linha de Pesquisa: Paisagem e Ambiente

Data: 06/08/2016 – em andamento

Descrição: Recuperação das áreas de mata ciliar e urbanas atingidas pelo rejeito de Fundão.

Docente: Cristina Villefort Teixeira

Maria Rita Scotti Muzzi Marques Leitao (Responsável)

Stael de Alvarenga Pereira Costa

Recuperação de campo rupestre sobre quartzito

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 25/05/2017 – em andamento

Descrição: Implantação de metodologia para recuperação de campo rupestre sobre quartzito degradado pelo uso de jeeps e motocross.

Docente: Maria Cristina Villefort Teixeira

Maria Rita Scotti Muzzi Marques Leitão (Responsável)

Stael de Alvarenga Pereira Costa

Recuperação de Nascentes Degradadas

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 03/03/2017 – em andamento

Descrição: Recuperação de nascentes em diferentes biomas tais como campos rupestres, cerrado, mata atlântica, bem como nascentes urbanas.

Docente: Maria Rita Scotti Muzzi Marques Leitão (Responsável)

Stael de Alvarenga Pereira Costa

Revisão do Zoneamento Bioclimático para HIS e Edificações Comerciais

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 05/01/2021 – em andamento

Descrição: Analisa dados climáticos da rede de estações meteorológicas padrão WMO para a identificação de tendências e aplicação em simulação termoenergética de edificações residenciais de interesse social e edificações comerciais típicas. Analisa os parâmetros de desempenho térmico que têm maior influência no comportamento térmico das edificações em domínios climáticos variados, para identificar os limites adequados de variação destes parâmetros em cada domínio climático, tendo como referência índices de conforto adaptativo e as Tabelas de Mahoney, versão nebulosa.

Docente: Eleonora Sad de Assis (Responsável)

Smart Cities – Smart Building – Smart Life

Linha de Pesquisa: Tecnologia do Ambiente Construído

Data : 01/02/2017 – em andamento

Descrição: Este projeto de pesquisa tem como foco principal estudos e aplicações para Cidades Inteligentes – Smart Cities co uso de sistemas de informação. O conceito Smart Cities surge com a aplicação da tecnologia para auxiliar nos problemas relacionados à cidades. Cidades Inteligentes é um tema interdisciplinar por natureza, proporcionando benefícios para a sociedade, nos setores de saúde, segurança, mobilidade urbana, energia, administração pública, entre outros. Envolve pessoas, pesquisas e profissionais de diferentes áreas do conhecimento. O ponto principal é o conceito de Arquitetura e Urbanismo e todo o funcionamento da cidade com utilização de tecnologia. Relacionada às questões de Smart Cities estão as edificações inteligentes e a complexidade da tecnologia BIM – Building information System. A premissa é de que estudos e avanços considerando Smart Cities e Smart Life consequentemente aponta para Smart Life pensando em mais qualidade de vida e sustentabilidade das cidades. A fundamentação teórica é composta por conceitos e aplicações de Cidades Inteligentes ? Smart Cities, Modelagem da Informação ? Building Information Modeling ? BIM, Sistema de Organização do Conhecimento ? Knowledge Organization System KOS, Inteligência Artificial, Ontologia. A capacidade de monitorar e analisar informações em tempo real é um diferencial para maximizar a eficácia e a produtividade em diferentes campos. Considera a importância da integração de sistemas de informação, que por sua vez, apoia a integração no planejamento, construção e operação de cidades inteligentes.

Docente: Renata Maria Abrantes Baracho Porto (Responsável)

Suchus novos usos para o couro de jacaré-açu (melanosuchus niger)

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 03/03/2017 – em andamento

Descrição: Prospecção e desenvolvimento de produtos para geração de renda de comunidade da Amazônia envolvida no manejo do jacaré-açu.

Docente: Andréa Franco Pereira (Responsável)

Sustainability, Preservation of Collections, and Environmental Management in Museums – Sustentabilidade, Preservação de Acervos, e Gerenciamento Ambiental em Museus

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/01/2018 – em andamento

Descrição: The project takes in account the UN Sustainable Development Goals and the reality of conservation of museum collections and buildings, with focus on how to achieve better conservation of the collections, sampling methodologies and optimisation of sampling and analytical techniques, climate management, energy consumption, waste treatment and disposal, relation to community, integration between conservation of natural history collections and principles of sampling, micro-sampling and nondestructive analytical techniques;

Docente: Luiz Antônio Cruz Souza (Responsável)

Willi de Barros Goncalves

Yacy Ara Froner Gonçalves

Sustentabilidade e Estratégias Bioclimáticas para Edificações e Espaços Urbanos

Linha de Pesquisa: Projeto isolado

Data: 03/02/2020 – em andamento

Descrição: Trata-se de projeto abrangente, que tem como objetivo principal o estudo do clima para proposição de estratégias bioclimáticas destinadas tanto a edificações, quanto a espaços urbanos. Inclui a análise e caracterização de componentes construtivos (fachadas, paredes, painéis, janelas, elementos de proteção solar, coberturas, entre outros elementos e componentes construtivos), visando sua eficiência em termos de adequação ao clima, proporcionando conforto ambiental e eficiência energética. Visa ainda, o estudo do clima para indicação de estratégias bioclimáticas destinadas a espaços urbanos, para novos projetos e propostas de revitalização. O desenvolvimento dos estudos é baseado na análise dos padrões meteorológicos de climas de interesse; na execução de simulações computacionais com diferentes tipos de programas; cálculo de propriedades térmicas e medição de variáveis (para ambientes internos, externos e nos componentes construtivos), considerando as diretrizes previstas na legislação e normalização atuais (habitação e urbanismo), de forma a avaliar seu potencial de soluções como estratégia bioclimática (passivas). Espera-se que a aplicação dos princípios bioclimáticos para elaboração de projetos de edificações e urbanos e seu uso possam subsidiar intervenções que visem maior sustentabilidade e impliquem em melhores condições de conforto térmico e eficiência energética.

Docente: Sofia Araújo Lima Bessa (Responsável)

Técnicas de reconstrução tridimensional, realidade virtual e prototipagem aplicadas à preservação do patrimônio cultural

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data:  02/01/2017 – em andamento

Descrição: Objetivo principal é investigar e comparar metodologias e ferramentas de reconstrução tridimensional, realidade virtual e prototipagem aplicadas à preservação do Patrimônio Cultural, com relação à qualidade e precisão dos resultados, particularmente na documentação de bens culturais arqueológicos de diversas complexidades e contextos, visando ao desenvolvimento / compilação de metodologia e procedimentos de documentação digital apropriados, adaptados ao contexto brasileiro e particularmente mineiro

Docente: Alessandra Rosado

Luiz Antônio Cruz Souza

Willi De Barros Gonçalves (Responsável)

Yacy Ara Froner Gonçalves

Territórios e fronteiras nos conceitos não concluídos nas escolas de Morfologia Urbana

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 01/01/2018

Descrição: A proposta de pesquisa submetida a este edital busca investigar aspectos pouco desenvolvidos no campo da Morfologia Urbana. Esta, surge da constatação de que as abordagens da escola inglesa de Morfologia Urbana relativas às regiões morfogenéticas e suas escalas de atuação suscitaram reduzidos estudos,discussões e aplicações práticas que poderiam trazer contribuições para o tema. Da mesma forma,aspectos referentes aos tipos, tecidos urbanos e o tipo territorial, todos integrantes dos conceitos da escola italiana de Morfologia Urbana têm sido objeto de interpretação diferenciada nos estudos brasileiros daquelas apregoadas pelos seus fundadores. Para a equipe de um laboratório de pesquisa que tem como um dos objetos principais, o estudo da Morfologia Urbana para a sua aplicação na realidade brasileira, considera-se necessário esta discussão e aprofundamento no tema. Os procedimentos metodológicos previstos são, num primeiro momento, o levantamento das fontes bibliográficas para a apreensão dos conceitos. Com o aporte conceitual adquirido prevê-se a sua aplicação num sítio urbano que permita a identificação, aplicação e discussão dos aspectos pesquisados. Finalmente, espera-se que os resultados possam ser comunicados via cursos de pós-graduação, extensão e aplicações no planejamento das cidades brasileiras.

Docente: Maria Cristina Villefort Teixeira

Stael de Alvarenga Pereira Costa (Responsável)

Territórios populares: Reestruturação territorial, desigualdades e resistências nas metrópoles brasileiras

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 02/01/2017 – em andamento

Descrição: O tema da desigualdade territorial das cidades brasileiras e, particularmente das condições precárias de moradia a que estão submetidas parcelas significativas da população, tem sido objeto de reflexões há várias décadas, assim como de ações de movimentos sociais e políticas públicas voltadas para sua superação. Particularmente no campo das políticas urbanas, favelas e periferias constituíram não apenas o objeto de reflexões, ações e políticas, mas também o léxico a partir do qual as desigualdades foram nomeadas e o campo a partir do qual as ações e políticas foram articuladas. Intervenções em favelas assim como melhorias urbanísticas nas periferias e em suas conexões com as centralidades urbanas marcaram ações de governos assim como adentraram o universo da competição político-eleitoral, especialmente nas grandes cidades. Por outro lado, a partir dos movimentos sociais de periferias e favelas, e da própria construção crítica do paradigma de cidade excludente e dual, todo um esforço regulatório, no campo do ordenamento jurídico do planejamento urbano foi sendo formulado, em torno da matriz conceitual da inclusão socioterritorial e da redistribuição da renda urbana, especialmente daquela decorrente de decisões da própria regulação. Em que pese a presença ainda dos elementos apontados acima, o cenário das cidades brasileiras contemporâneas, e particularmente o tema da desigualdade socioterritorial parece não mais caber no interior neste léxico. Recortes importantes como raça e gênero estiveram ausentes na construção deste modelo, assim como o tema da violência. A matriz centro/periferia tampouco deu conta de detectar periferias no centro  para além da presença de favelas  e seu lugar na configuração desta desigualdade. A presença  genérica e pouco compreendida  de cortiços localizados em bairros centrais, por exemplo, revela a maior complexidade destas configurações. Também não é mais possível tematizar a  periferia nem mesmo as favelas como algo homogêneo oposto de forma dual ao centro, uma vez que processos de consolidação dos assentamentos, assim como a chegada de produtos imobiliários produzidos no âmbito do mercado formal como condomínios de apartamentos, redes varejistas e shopping centers transformou, de forma heterogênea, estas geografias. Finalmente, a trajetória mais recente de revisão do marco regulatório e ordenamento jurídico da política urbana sofreu uma guinada, especialmente na última década, em direção a um outro paradigma, voltado não para redistribuição e inclusão, mas para a promoção de frentes de expansão de ativos imobiliários financeirizados (ou complexo imobiliário financeiro) através sobretudo da implementação de projetos urbanos e parcerias público privadas. Este tem sido um dos componentes do ajuste urbano, que, na conjuntura atual também inclui cortes orçamentários, eliminação de programas sociais e amplo programa de privatizações de espaços, equipamentos e serviços públicos.

Docente: Natacha Silva Araujo Rena (Responsável)

Thermographic and energy efficiency study cases on heritage architecture

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 01/01/2019 – em andamento

Descrição: The main objective of this research proposal is to provide society with technical and professional information on structural conditions and energy efficiency of the buildings investigated, by evaluating the possible pathological manifestations detected and evaluating the structural conditions of the buildings.

Docente: Cynara Fiedler Bremer (Responsável)

Turismo cultural, patrimônio e relações de hospitalidade

Linha de Pesquisa: Memória e patrimônio cultural

Data: 01/01/2017 – em andamento

Descrição: Este projeto de pesquisa visa realizar estudos a partir da linha Memória e Patrimônio Cultural do Programa de Pós-Graduação em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável da UFMG. Tem enfoque no turismo entrelaçado com seus aspectos sociais e culturais de forma interdisciplinar com a História, a Sociologia e a Arquitetura.

Docente: Frederico de Paula Tofani

Leandro Benedini Brusadin (Responsável)

Yacy Ara Froner Gonçalves

Urbanismo Biopolítico: cartografia das lutas territoriais territoriais

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 13/02/2017 – em andamento

Descrição: O projeto de pesquisa denominado “Urbanismo Biopolítico: uma cartografia das lutas territoriais” cartografa um recorte das políticas neoliberais de produção do espaço que envolvem diversas resistências ao avanço do capitalismo financeiro contemporâneo (em tempos de globalização) sobre o território de Belo Horizonte. Chamamos de Urbanismo Biopolítico, o conjunto de forças que constituem as disputas pela produção do espaço nas metrópoles contemporâneas propiciando que tracemos uma cartografia do conjunto de atores que compõem esas forças envolvendo tanto o Urbanismo Neoliberal (do Estado-capital) quanto o Urbanismo Biopotente (das resistências positivas,insurgentes e cidadãs). O grupo de pesquisa Indisciplinar atua em diversas frentes de ação: Territoriais e Temáticas. Este projeto irá trabalhar diretamente com duas frentes de ação vinculadas aos projetos extensionistas do Indisciplinar: 1. Frente de Ação Territorial Zona Cultural que atua junto ao Conselho Municipal da Zona Cultural do Centro de Belo Horizonte; 2. Frente de Ação Temática Cartografia das lutas territoriais contemporâneas em Belo Horizonte. Esta pesquisa pretende realizar um estudo teórico sobre os processos de globalização e produção de subjetividades em tempos de: CMI (Capitalismo Mundial Integrado) para Félix Guattari e Suelly Rolnik, Capitalismo Flexível para David Harvey, Império para Michael Hardt e Antonio Negri e Capitalismo Tardio para Fredric Jameson. Os objetivos gerais desta pesquisa são: Ampliação do envolvimento da Universidade com as principais lutas urbanas em defesa de direitos e justiça social; Aperfeiçoamento da plataforma tecnopolítica de investigação urbana Urbanismo Biopolítico, por meio da otimização do uso das ferramentas wiki, mapa georreferenciado e modos de divulgação (blog e fanpage) vinculados à cartografia das frentes de ação territoriais deste projeto envolvendo as duas frentes de ação supracitadas; Consolidação da rede de investigação que gerou o INCT Tecnopolíticas: territórios urbanos e redes digitais. Pretende-se apontar como há uma narrativa, um discurso, hegemônico que envolve a ONU e todas as agências envolvidas com as elites globais, prioritariamente financeiras, que produz um campo conceitual e teórico, porém fortemente político, que vai pautar as diretrizes mundiais para os processos de globalização e, consequentemente, influenciar fortemente a constituição de poíticas públicas para a produção do espaço na contemporaneidade. Os eventos que envolvem a UN-Habitat (ONU Habitat) vêm pautando os grandes projetos de intervenção urbana, que são acompanhados de programas de financiamento das grandes obras e das novas gestões empresariais para os territórios em todo o mundo. Portanto, esta pesquisa busca cartografar os principais programas e as principais diretrizes envolvidas nas recentes políticas urbanas no Brasil e em especialmente no território da região central de Belo Horizonte, que está atualmente no coração de uma nova Operação Urbana Consorciada denominada OUC NovaBH e posteriormente ACLO, mas também é uma região que tem determinado um limite que configura um espaço chamado de Zona Cultural, que pretende adotar uma série de políticas de valorização envolvendo, principalmente, a cultura como mote para o que chamamos também de gentrificação.

Docente: Natacha Silva Araujo Rena (Responsável)

Urbanismo e Participação

Linha de Pesquisa: Paisagem e ambiente

Data: 01/08/2020 – em andamento

Descrição: O presente projeto de extensão abarca um conjunto de ações extensionistas que visam retomar o debate sobre as formas e os instrumentos de participação popular no planejamento e na gestão urbana junto à grupos receptivos da sociedade civil – lideranças comunitárias, agentes públicos e outros – e da sociedade política. Atualmente, já estamos em contato com instituições, movimentos e organizações sociais em três territórios: Pedreira Prado Lopes (MTD, Pátria Livre, União Prado Lopes); Primeiro de Maio (Obras Sociais Senhora da Glória; Paróquia de Todos os Santos; Programa Fica Vivo; CRAS do Primeiro de Maio) e Vila Senhor dos Passos (Casa de Caridade Pai Jacob do Oriente; CRAS Senhor dos Passos – Regional Noroeste).

Docente: Gisela Barcellos de Souza (Responsável)

Uso sustentável do rejeito sedimentado da bacia do Rio Doce no desenvolvimento de componentes para a construção civil

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 05/08/2019 – em andamento

Descrição: No Brasil, as técnicas construtivas com terra foram introduzidas no período colonial, com destaque para o adobe e a taipa nas cidades históricas mineiras. A reconstrução das edificações e da infraestrutura das localidades atingidas pelo rompimento da barragem do Fundão deveria se pautar nas mesmas técnicas construtivas com terra já utilizadas pela população, atentando-se para a necessidade de se garantir durabilidade, salubridade e solidez às novas construções. As pesquisas sobre a incorporação de resíduos aos componentes de terra têm evoluído na última década, sejam estes estabilizados com o cimento ou com a cal. A estabilização também pode ser obtida por meio da ativação alcalina, que consiste na obtenção de um aglomerante a partir de materiais aluminossilicatos em soluções altamente alcalinas. O objetivo geral da proposta consiste em dar uma destinação simples ao rejeito misturado com solos e sedimentos que possa ser utilizado diretamente pelas comunidades ao longo do Rio Doce para a manufatura de produtos para a construção civil para uso local. (Edital 09/2018 FAPEMIG/FAPES/FUNDAÇÃO RENOVA).

Docente: Sofia Araujo Lima Bessa (Responsável)

Utilização de ensaios não destrutivos para determinar as constantes elásticas da madeira e o bambu (proj. ic)

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 01/03/2018 – em andamento

Descrição: Elaborar uma revisão bibliográfica sobre ensaios não destrutivos (NDT), mais especificamente utilizando o princípio das ondas acústicas. Determinar através de ensaios não destrutivos a matriz de constantes elásticas da madeira e do bambu, considerando um material ortotrópico (12 constantes elásticas). Proporcionar aos alunos a possibilidade de interagir com os alunos de pós-graduação que trabalham nesta linha de pesquisa.

Docente: Edgar Vladimiro Mantilla Carrasco (Responsável)

Utilização de resíduos de mineração em sistemas construtivos inovadores

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 01/03/2019 – em andamento

Descrição: Avaliar a incorporação de resíduos de mineração em elementos construtivos de diversos sistemas construtivos existentes e avaliar o sistema construtivo frente às exigências do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H) e do Sistema Nacional de Avaliações Técnicas (SINAT), com o intuito de se elaborar uma DAT  Diretriz para Avaliação, que é o documento essencial para a aplicação em larga escala do sistema construtivo.

Docente: Edgar Vladimiro Mantilla Carrasco (Responsável)

Sofia Araujo Lima Bessa

Utilização do sistema de informação geográfica como ferramenta de análise e gestão de riscos de incêndio em sítios históricos

Linha de Pesquisa: Tecnologia do ambiente construído

Data: 01/01/2019 – em andamento

Descrição: Esse projeto de pesquisa tem como objetivo geral utilizar sistemas de informação geográfica como ferramenta de análise e gestão de riscos de incêndio em sítios históricos. Portanto, pretende-se mapear as áreas de risco de incêndio nas cidades históricas mineiras, especificamente aquelas declaradas Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO; desenvolver diagnoses para permitir o conhecimento dos principais pontos e regiões de vulnerabilidade dos sítios históricos; e propor prognoses no sentido de aumentar a resiliência ampla, incluindo tanto o local, suas edificações e população ali existente. Com isso, busca-se colaborar com o estado da arte da pesquisa na área objeto deste projeto e com as atividades relacionadas à educação quanto a medidas de segurança, visando prevenir o surgimento de incêndios em edificações acauteladas por meio da difusão desse estudo.

Docente: Frederico De Paula Tofani

Paulo Gustavo Von Kruger (Responsável)

Produção de elementos vazados com a incorporação de resíduos: desenvolvimento de microconcretos e desempenho de iluminação natural e ventilação

Edital Universal FAPEMIG 01/2017 

Coordenação: Profa. Sofia Araújo Lima Bessa.

Vigência: até jan.2022

Uso sustentável do rejeito sedimentado da bacia do Rio Doce no desenvolvimento de componentes para a construção civil 

Chamada 09/2018 – FAPEMIG/ FAPES/ RENOVA

Coordenação: Profa. Sofia Araújo Lima Bessa

O objetivo geral da proposta consiste em dar uma destinação simples ao rejeito misturado com solos e sedimentos que possa ser utilizado diretamente pelas comunidades ao longo do Rio Doce para a manufatura de produtos para a construção civil para uso local. 

Vigência: até out.2022

Projeto Disseminação do Pensamento de Ciclo de Vida: integrando ACV ao Design para a Sustentabilidade

Professor responsável: Paulo von Kruger

2020 – Atual

Bolsa de Produtividade DT/CNPq Nível 2

Projeto Ciclo de Vida

Coordenação: Andréa Franco Pereira

2020- atualmente

O objetivo do projeto é o de disseminar o Pensamento de Ciclo de Vida (Life Cycle Thinking) aos diversos setores produtivos, com especial atenção às micro e pequenas empresas (MPEs) e aos pequenos empreendimentos, integrando o método de Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) aos princípios de Design para a Sustentabilidade com vistas à diminuição dos impactos causados pelas atividades produtivas sobre o meio natural, considerando, igualmente, os valores socioeconômicos e culturais envolvidos.

Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (4) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Andréa Franco Pereira (Coordenador); Leonardo G de Oliveira Gomes -;, Bianca Xavier Lemes; Bárbara Anne Dalla Vechia Konzen;Rachel Coeli Santana Machado; Sabrina Fonseca Duarte Rojas Freitas; Érica Flávia dos Santos Pereira; Rayane Sandrelly Ferreira de Jesus; Isabella Moura Branco Mendes;

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Bolsa.

Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 8

Prioridade Ambiental – Colaboração para a atualização e manutenção da plataforma ECOSELO

Coordenação: Andréa Franco Pereira

2019- atualmente

Site: http://www.arq.ufmg.br/tau/ecoselo/. PIBIC/CNPq 2019. EDITAL PRPq/UFMG – 04/2019 

O projeto está ligado à pesquisa aprovada no âmbito do Edital 01/2015 Demanda Universal/FAPEMIG: ‘Prioridade Ambiental – Implantação de plataforma para suporte ao Ecodesign a partir de critérios de Programas de Rotulagem Ambiental e de Declaração Ambiental de Produtos, e da aplicação de Avaliação do Ciclo de Vida (ACV)’ projeto prorrogado até 27/01/2019 em Carta Aditiva de 17/03/2017 da FAPEMIG. 

Integra pesquisa mais ampla ligada à bolsa de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora – DT/CNPq (vigência 01/03/2017 a 29/02/2020): ‘Mecanismos para a efetiva adoção do Pensamento de Ciclo de Vida em ecodesign: aplicação da ACV para verificação quantitativa e tomada de decisão no design de produto’.

Configura-se como continuidade dos trabalhos desenvolvidos desde 2006, com destaque aos estudos realizados com bolsas PIBIC CNPq/UFMG do Edital PRPq – 03/2015, do EDITAL PRPq – 01/2016 e do EDITAL PRPq – 04/2018, e visa disponibilizar parâmetros quantitativos e qualitativos, permitindo seu uso como ferramenta para ecodesign e transferência de informação e tecnologia ao setor produtivo.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .

Integrantes: Andréa Franco Pereira (Coordenador), Talissa Bedran Linhares; Rachel Coeli Santana Machado;

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Bolsa.Número de orientações: 2